Conto: Isolada - Bárbara Herdy #TOCANDOTERROR

Isolada narra a desventura de Octávia que achava que seu dia seria enfadonho como os outros, até que uma horda de mortos-vivos invade sua escola em um ataque feroz e mortal contra todos os vivos. Munida de sua boneca e com a ajuda de novos amigos, ela lutará pela sua sobrevivência.
Neste conto iremos conhecer a pequena Octávia Gomes.

Octávia não é descrita como as crianças comuns. A grande certeza é que se as outras crianças adoram algo, ela provavelmente ficará ao lado de outra opção mais centrada. Uma destas é que a pequenina ama a escola. Não é de faltar. Octávia ama aprender e passar horas desenhando. E não tão comum como suas escolhas é este dia prestes a se tornar infernal. A garota até parece sentir, pois está em negação para confirmar sua presença em mais um dia de aula. Octávia deseja passar o dia com o pai, mas ele e sua mãe estão firmes em mandá-la para a escola.

Poderia ter sido uma típica aula tranquila, naquela escola situada em Niterói, caso não fosse pela estranha invasão de três homens pelos muros no local e a forma como ambos se movem; os estranhos barulhos vindo dos carros como um eterno buzinaço. O desespero logo se torna real quando um dos alunos da classe de Octávia morre inesperadamente - ponto de partida para cada um se mandar e salvar suas vidas.

Sem piedade, o surto se espalha por toda escola. Todos são vítimas, do corpo docente aos alunos, que logo serão novos errantes nutridos pela sede de sangue. A pequena Octávia acaba por encontrar uma esperança de sobrevivência em Fabiana, uma aluna recém-chegada de São Paulo que inspira liderança e não soa disposta a perder para estes mortos-vivos.

"Não era nem um pouco influenciável pelos costumes modernos, vivia seu tempo no presente e era extremamente respeitosa. Ela era uma garotinha, aprendendo a viver nesse mundo pequeno por fora e imenso por dentro."

Uma das maiores influências da série Supernatural na minha vida seriadora foi aquele episódio do Croatoan. Daí eu ficava imaginando esse tipo de coisa tenebrosa acontecendo no meu colégio, na época do ensino médio. Eu até rabisquei um conto anos atrás por causa disso. Nada louca querer um surto qualquer na escola e se imaginar a própria guerreira, né? Ha! Então o conto de Bárbara Herdy acabou sendo uma grande surpresa, porque é do ponto de vista de uma criança. Não soa tão irreal como esperado, afinal ela encontrará alguma ajuda básica no decorrer destas linhas. Toda situação criada em Isolada se resume em exatamente nisso: como Octávia sairá da escola? É muito justo com o que se propõe, embora eu posso ter compreendido isto um pouco tarde.

A pequena age bastante pela intuição. Alguns coadjuvantes permanecem em cena ao seu lado, mas não fazem escolhas que irão garantir a sobrevivência. Procurar pessoas ou escolher sobreviver? É algo difícil, são crianças e a primeira intenção é procurar pais, irmãos ou esperar alguém aparecer. A autora não sente receio em escolher suas vítimas. Dizer que eu pensei que, pelo tipo dos personagens, não teria vítimas. Entretanto, mencionei em outras análises de contos que não simpatizo quando a construção se iguala a prólogos e esta questão é o que justifica minha avaliação.

A escrita de Bárbara é bem detalhada, mas a narrativa não soa monótona, afinal estamos falando de um enredo dominado por mortos-vivos. A autora introduz a personagem aproximando o leitor de sua personalidade, mostrando que, apesar de ser uma criança, Octávia é nutrida de vontades e sabe se impor quando quer - apesar de sobreviver com as regras dos pais. É a grande protagonista desta história e não espere menções além de sua conclusão.

"O que era engraçado aos olhos de uma criança, era preocupante aos olhos de um adulto."

Como admiradora de histórias envolvendo zumbis, Isolada garantiu meu entretenimento mesmo em poucos minutos. Algumas cenas eletrizantes; outras transpiram sensibilidade com o pânico de Octávia. Realmente me deixou imaginando o que teria acontecido para o tal surto e como se daria os próximos capítulos num Rio de Janeiro apocalíptico. A autora menciona nas páginas finais que era um conto adormecido em seus arquivos. Quem sabe ela não prepara uma grande aventura eletrizante e bacana pra gente, né?

"... trocou o rosa pelo vermelho no momento que conheceu a cor."

Edição lida em e-book. Gente, e essa capa? Amiga! Uma maquiagem maravilhosa dessas! Também apreciei a revisão, sem erros tão gritantes. Por outro lado, minha implicância com duplo nos parágrafos permanece. É que no meu Kindle não acho o visual legal. Na leitura feita pela nuvem, simpatizo. Nas últimas páginas também se encontram informações sobre o conto, a autora e suas outras publicações. Ela curte experimentar vários estilos - além do terror - então certamente terá algo para leitores não tão fãs de zumbis.

Até o momento da publicação da postagem: e-book disponível no Kindle Unlimited (caso não esteja, você pode encontrar outros e-books da autora para emprestar)


Autora: Bárbara Herdy
Origem: Literatura Brasileira
Recomendação do Canto: +16 anos
Editora: Independente | Amazon
ASIN: B08M59CJRN
Publicação: 2020
Páginas: 43
Série: Não
O Que Tem? Mortos-Vivos, Crianças, Escola, Conto, Sobrevivência, Rio de Janeiro


4 COMENTÁRIOS

  1. Uau. Não sou muito de ler histórias assim mais darks, com mortos-vivos e tal... mas deve ser legal essa escrita da autora mais detalhista...

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oye, 43 páginas solo... Me viene genial para una lectura rápida antes de Halloween. Muchas gracias por compartir ^^

    ResponderExcluir
  3. Olá, Nana.
    Eu não sou muito de ler contos, mas me interessei bastante por esse. Eu gosto de histórias de zumbis e fiquei curiosa por esse ser do ponto de vista de uma criança. Já coloquei no meu KU.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Oi Nana, tudo bem?
    Pela capa, achei que fosse algo envolvendo assombração, aí já fui toda com medo ler a resenha HAHAHA! Parece bem legal uma perspectiva diferente, realmente nunca vi algo envolvendo zumbis com uma criança como protagonista. Mas como não ando muito entusiasta de mortos-vivos, vou acabar deixando passar. :(
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir

Olá, sejam bem vindxs :D
Algumas observações:
- Os comentários são moderados, conteúdo odioso ou preconceituoso não será aprovado;
- Comentários que não tenham relação com a postagem e estilo propaganda serão enviados para o spam;
- Comentários que desprezam o texto da postagem não serão respondidos.