Livro: Em Pedaços - Lauren Layne

quinta-feira, dezembro 06, 2018

Uma garota com segredos corrosivos. Um ex-soldado com cicatrizes externas e internas. Um amor que pode salvar ambos... ou destrui-los de vez. Aos vinte e dois anos, Olivia Middleton tem Nova York aos seus pés. Por fora, ela é a garota perfeita — linda, inteligente e caridosa — mas, por dentro, guarda um segredo terrível: um erro que a afastou das duas únicas pessoas que realmente importavam na sua vida. Determinada a esquecer o passado, ela deixa Manhattan e vai trabalhar como cuidadora de um soldado recém-saído da guerra. O que ela não esperava era que seu paciente seria um jovem enigmático de vinte e quatro anos tão amargurado quanto atraente. Paul Langdon está furioso — com o mundo, com a vida, com o seu pai e, principalmente, consigo mesmo. Depois de sofrer na pele os horrores da Guerra do Afeganistão, a última coisa que ele quer é a companhia de uma princesinha nova-iorquina linda, mimada e irritante. A presença de Olivia parece tóxica para Paul: ela o incomoda, mas ele não consegue afastá-la, por mais que tente. Nessa recontagem moderna de A Bela e a Fera, Lauren Layne nos traz uma história irresistível de perdão, cura e, acima de tudo, amor.
Olivia Middleton é uma jovem de família rica que vive em Manhattan. Seu relacionamento com Ethan não terminou de forma amigável e ela ressente por seus atos. Simplesmente não consegue encarar as duas pessoas que feriu. Assim, Olivia decidiu abandonar a faculdade e se refugiar no Maine, cuidando de um soldado ferido em combate. Seus pais estão muito contentes com sua escolha, pois decidiram lhe presentear com uma festa de despedida e espalhar para o resto da alta sociedade que a filha está fazendo caridade.

O emocional de Paul Langdon está despedaçado, em vista das perdas que a guerra lhe trouxe. Duas dessas perdas afetam seu físico: uma grande cicatriz no rosto e sua perna manca. Ele era o esteriótipo de carinha popular colegial e atleta, então sua vaidade foi quebrada e isso o incomoda, o tornando recluso. Seu pai é um grande empresário e o acolhe em sua imensa propriedade. Porém, os dois não mantêm um bom relacionamento. Na verdade, Paul prefere que as pessoas fiquem o mais longe possível, o motivo o qual nenhum dos cuidadores duram por ali.

Fazendo jus ao surrealismo de romances do estilo, basta apenas um olhar e uns segundos para que Olívia passe as próximas horas sonhando acordada com os lábios do rapaz e o priquito acender. E esses sentimentos super aflorados, acabam por trazer tensão em todos momentos entre os dois. Paul, como deseja que ela suma da propriedade, zomba da moça e sempre a destrata, as vezes com ofensas. Ele sabe que está atraído por Olivia, porém não se permite uma chance.

Olivia acredita que por ter agido de má fé com Ethan, mereça a sentença de permanecer cuidando de Paul e quem sabe libertá-lo da prisão que é sua vida. Ela o incentiva a praticar exercícios, a interagir e até se reconectar com uma antiga amizade. Mais lembranças criadas; mais sentimentos despertados. Por outro lado, ainda não é o suficiente para que ambos parem com a jogada de gato e rato, o que leva Paul a forçar Olivia lidar com os fantasmas de seu passado.

Sacrifícios precisam ser feitos para que a felicidade de ambos seja plena. Olivia pretende cumprir seus três meses como cuidadora, e não se vê passando o resto de sua vida presa naquela propriedade. Paul sabe disso. Sabe o quanto Olivia fez por ele, o transformou, sabe que também precisa enfrentar os fantasmas do seu próprio passado e seguir em frente, se deseja que ela fique ao seu lado.

" Trinta segundos depois, estou sozinha no meio do estacionamento abandonado, me perguntando quanto mal posso ter feito a uma alma que já estava em pedaços."

Uma das raríssimas vezes que fiquei em dúvida como avaliar um livro. Vocês já devem ter percebido que não dou notas quebradas, não sou fã. Em Pedaços é uma releitura de A Bela e a Fera que trás uma construção de protagonista masculino problemática, em metade de suas 248 páginas. Depois o cara dá uma relaxada, claro, para começar a abordagem do final feliz. Mesmo assim não consegui simpatizar com Paul Langdon, pois passei toda leitura desconfiada de suas ações com Olivia, ainda que fossem boas.

Vamos falar das coisas boas primeiro! Como a maioria, estava curiosa para conhecer a escrita de Lauren Layne e não foi um começo muito agradável, apesar de ter bons pontos a mencionar. Porém, não quer dizer que eu vá desistir da autora. Apreciei sua escrita fluída e a maneira que ela se importa em nos apresentar os personagens, explorando as personalidades e a tensão. Há cenas eróticas, mas são poucas e acontecem só depois da metade do livro. Uma em especial, eu gostei bastante. He! E livros do estilo costumam ser meio vazios, como se o mundo fosse só o casal protagonista. Gostei do fato de ter alguns coadjuvantes por aqui e que de alguma forma, acrescentam algo a trama. Destaco Harry, o pai de Paul.

Um outro positivo, é que o 'novo' Paul precisa mudar e correr atrás. Todo mundo tem seu limite e enfim, a Olivia acaba impondo o seu e dá o espaço, não fica atrás vendo se tá tudo bem. Isso é na outra metade do livro, que até apreciei mais a narrativa.

"Se eu não interagir um pouco com outras pessoas, vou me tornar tão hostil quanto ele, uma fera infeliz que não é reeprendida por seu péssimo comportamento."

E vamos ao ponto que me deixou desapontada. Olivia é praticamente uma boneca - na verdade, a descrição dela é super Barbiezinha - e quando a bateria acaba, a personagem murcha. Entendo que por um erro no antigo relacionamento - sinceramente, nem é grandes coisas... Ethan tá nem aí mais - ela acredita que precisa fugir e aturar a grosseria de Paul. Da mesma maneira que entendo os traumas de Paul, por já ter lido e assistido alguns romances e dramas, que usam uma personalidade mais dura para o dito soldado ferido. O que não entendo é o nível de grosseria desnecessária que a menina se submete dentro daquela casa. Duas delas envolvem agressão, no qual a autora descreve perfeitamente: Paul agarra o pulso de Olivia e a empurra. E esse foi o ponto que me decepcionou bastante. E ainda lembro o fato dele ter explodido com a moça, porque ela foi caçá-lo no Google e saber sobre o ocorrido. Ele tinha feito o mesmo com ela, logo no início da história!

Cheguei a conclusão que minha leitura de Em Pedaços foi bem similar a uma outra que fiz esse ano: boa qualidade, mas derrapa na execução de um personagem. Eu aprecio e muito, romances com soldados tentando superar suas dores. Mas acredito e muito que haja uma abordagem diferente, sem apelar pra grosseria. A segunda parte do romance tem um clima melhor. Enfim, se você curte romances do estilo e a leitura te interessa, leia e forme sua opinião!

A edição está ótima. Até que os modelos da capa lembram um pouco os protagonistas. Boa revisão, mas não sou muito fã de diálogos com aspas. Os capítulos são divididos entre Olivia e Paul, assim amenizando um pouco as explosões de Paul. A escrita da autora prende e flui, então capaz de você terminar a leitura em praticamente um dia ou dois.

"Ficamos parados por alguns segundos, só nos encarando, Dois jovens mimados e em pedaços. Dois desastres..."

Os outros livros são focados em outros relacionamentos. O prequel é com Ethan, o ex namorado de Olivia, e o segundo é com o amigo deles (ou ex também), Michael.

*As avaliações com desenho da pimenta indicam que há cenas eróticas no livro.

Autora: Lauren Layne
Título Original: Broken
Origem: Literatura Americana
Editora: Paralela
Tradução: Lígia Azevedo
ISBN:  8584391177
Publicação: 2018
Páginas: 248
Série: Sim - Recomeços
#0.5: Como Num Filme
#1: Em Pedaços
#3: Crushed
O Que Tem?: Traumas da Guerra, Barbiezinha, Segredos

LinksSkoob Compre Físico - Compre E-book - No Site da Editora - Site da Autora
O Canto Cultzíneo agradece o Grupo Companhia das Letras (Paralela) por ceder o exemplar para análise.

You Might Also Like

13 COMENTÁRIOS

  1. Oi Nana, tudo bem?
    Eu não consigo curtir muito esses instaloves, sabe... :(
    Romances contemporâneos mais fogosos acabam não me agradando tanto. Só consigo abrir exceção pros de época HAHAHA!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  2. Oi, Nana

    Você deveria ter começado por Mais Que Amigos! Esse aí eu finjo que nem existe.
    Achei a motivação da fuga da Olivia bem esdrúxula! Quando eu descobri eu fiquei "REALLY????". Aí ela me chega lá na casa do cara, olha ele e... a periquita acende. Para alguém que fugiu por aquele motivo ela foi bem rápida.
    E o Paul? Aff. Sem comentários.
    Mas Como Num Filme é legalzinho, Ethan teve um livramento ao se ver livre da Olivia! Hahahaha

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nana!

    "O que não entendo é o nível de grosseria desnecessária que a menina se submete dentro daquela casa" SIM!! É exatamente isso! Aliás, você é uma copiona, postei resenha desse livro hoje mesmo também HAHAHA mentira, a nossa sintonia que é ótima <3 concordo com você que a escrita da autora é ótima, e que a história também poderia ser muito comovente, mas a forma como ela construiu os personagens acabou com todo o potencial da obra. Paul só foi melhorar pro final, e me incomodou bastante toda a grosseria desnecessária dele. Adorei a resenhaaa!!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Nana.
    Acho que nunca me identifiquei tanto com uma resenha como a sua! Menina parecia eu falando do livro! rsrsrs
    Estou pra fazer resenha dele faz tempo. Já iniciei e parei umas três vezes, justamente por ter ficado sem saber se gostei ou não. Ou melhor, com dificuldade para saber o que gostei no final das contas. Detestei as atitudes do Paul em muitas cenas. Tive que largar o livro e recomeçar algumas vezes, por me fazerem mal. Detesto relacionamentos abusivos em livros. Enfim, parabéns pela resenha e vou ver se tomo coragem para finalmente fazer a minha.
    Bjus
    Doces Letras

    ResponderExcluir
  5. Oi Nana!
    Acabei de ler a resenha da Carol tbm e estou confirmando que não lerei este da autora, mas Como num filme já está na minha listinha! 😉😆
    Detesto instalove, detesto personagem grosseiro!
    "priquita acende" HAHAHAH
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Nana.
    Aparentemente o livro já tem várias críticas bem negativas...
    E pelo visto não é pra menos...
    O cara trata a menina muito mal, até com agressões.
    O trauma da protagonista também parece que não é tão grande assim.
    Sinceramente, não é o tipo de livro que mais gosto de ler.
    Bela resenha.
    Abraços.
    Diego || Acesse Diego Morais Viana

    ResponderExcluir
  7. Oie
    Acabei de ler uma outra resenha deste livro que falava em machismo por parte do protagonista. Suas ressalvas também me mostraram que não é o tipo de livro que irei curtir.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. "e o piriquito acender..." HUSHAUHSUAHSU Ri alto.
    Confesso que depois de ler sua resenha eu me sinto exatamente como a nota, "nada a dizer, só sentir". Sinceramente, me parece mesmo ser um livro bom, e não dá pra evitar ler sobre agressão, grosseria e machismo por que infelizmente vivemos em um mundo repleto disso na vida real, mas eu realmente acho totalmente errado romantizar relacionamentos abusivos na literatura, e me parece que isso acontece nesse livro.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  9. Nana, eu tb tenho curiosidade pra ler algo da autora, e esse livro sempre me chamou a atenção. Mas a gente tem um gosto parecido, então é capaz de eu tb ter algumas reservas, em alguns pontos. Mesmo assim, amo esse tipo de história, então se tiver a chance, lerei com certeza!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  10. Oi Nana!
    Eu acho tão batido esse lance do soldado ferido que ta tentando se curar KKKKKKK. Parece o lema de uma de uma cambada de autora de New Adult. A mim não agrada. Provavelmente eu largaria a leitura quando ele começasse a ser um escroto. Não tenho paciencia com personagens ou pessoas que acham que o seu drama é maior do que o do outro. Acaba que eu não consigo criar vinculos com eles e desisto. Mas, pelo menos não foi dos males o pior. Ainda sim, não é minha praia.

    Abraços
    David
    https://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Olá, Nana.
    Eu acabei de ler uma resenha desse livro em outro blog hehe. E como disse por lá eu não suporto esse tipo de enredo que o cara vem quebrado e acha que pode fazer o que quer e no final a garota cura ele com seu amor. E ainda mais se tem agressão no meio. Passa uma mensagem muito errada porque na vida real as coisas não acontecem assim, vai terminar ou no hospital ou no cemitério.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  12. Oi Nana! Eu conheci o trabalho da autora com o livro que é d ex da Olivia e amei. Estou com outro dela aqui que é bem elogiado e espero gostar. Em pedaços não recebe muitos elogios e acho que não vou ler, mas tenta ler outro dela, quem sabe você curte. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  13. Oi Nana,
    Eu ainda não li nada da autora, mas quero! Tenho os livros dela em ebook só ainda não tive oportunidade de priorizá-los, espero que ano que vem eu consiga! hahaha
    Uma pena que, para você, não foi de tudo positivo.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Olá sejam bem vindos e deixem suas opiniões, com respeito, aqui.

Algumas observações:
- Comentários que não tenham relação com a postagem, serão removidos e não serão respondidos.
- Divulgações, exceto de autores, são removidas e não são respondidas.
- Comentários irrelevantes como: 'ah adorei a postagem', 'adorei a coluna', 'que legal o post' e outros no mesmo nível, são mantidos mas não são respondidos. Até porque, o que iríamos responder, né?