Livro: O Homem de Areia - Lars Kepler

Bestseller mundial, O homem de areia conta a história de um serial killer inteligente e manipulador e de dois policiais que precisarão vencer os próprios limites para pegá-lo. Em uma noite extremamente fria em Estocolmo, um homem aparece sozinho e desnorteado em uma ponte. Quando ele é encontrado, a hipotermia já toma conta de seu corpo. Ao ser levado para um hospital, descobrese que há sete anos ele foi declarado morto. Seu assassinato foi creditado ao serial killer Jurek Walter, que foi preso há alguns anos pelo detetive Joona Linna e sentenciado a prisão perpétua em uma ala psiquiátrica. Enquanto investiga o aparecimento desse homem e tenta entender onde ele esteve durante os últimos sete anos, evidências desconhecidas começam a aparecer e influenciar o caso que já estava arquivado.Com capítulos curtos e ritmo alucinante, O homem de areia é um thriller envolvente sobre os limites da maldade. “Um dos thrillers mais emocionantes dos últimos tempos.” — Sunday Times
O Homem de Areia é o quarto livro da série Joona Linna, conhecida pelo seu primeiro livro, O Hipnotista. Cada volume é um caso diferente e a leitura pode ser feita separada. Lars Kepler é um pseudônimo. O casal Alexandra e Alexander Ahndoril, são os autores.

Bom, começamos essa investigação cientes de quem é o serial killer. O detetive Joona Linna sofreu grandes perdas, mas conseguiu prender Jurek Walter em flagrante ao tentar enterrar uma moça viva. Logo outros crimes foram descobertos e outros permaneceram sob suspeita. Mesmo preso, Jurek consegue atingir as pessoas de maneira horripilante. E pior para o detetive, pois o assassino jamais esquecerá ele.

Mikael Frost e sua irmã desapareceram há treze anos. Agora, seis anos após ter sido declarado morto, Mikael reaparece vagando por uma ferrovia em Estocolmo. Tudo que ele diz e teme está relacionado à uma figura nominada Homem de Areia. O menino, agora rapaz, ouvia histórias de sua mãe antes de dormir e a conectou ao seu raptor. Sua irmã, Felicia, ficou para trás e infelizmente, o garoto não se encontra em condições saudáveis para fornecer mais informações à polícia.

Joona acredita que Jurek está, de alguma forma, conectado ao desaparecimento dos irmãos Frost. O detetive decide formar uma equipe, e achar uma maneira de investigar o assassino, sem ele mesmo contatá-lo. Se Jurek não o suporta, o detetive menos. Joona teve que sacrificar o que mais amava na vida, por segurança. Porém, não pode fazer o mesmo por um antigo parceiro de trabalho, o qual a família foi vítima de Jurek.

Então, o detetive e sua equipe decidem infiltrar Saga Bauer, uma policial de personalidade forte e nada doce, no presídio. Saga precisa instalar uma escuta, ser amigar com Jurek e descobrir seus planos. Porém, ele não é o seu grande perigo naquele local. Mesmo com uma personalidade mais durona, alguns a tacham de frágil por ser mulher. Particularmente, nem liguei para o destino dos embustes.

"Saga precisa aguentar por mais tempo.
A vida que deixou para trás a havia deixado primeiro. Stefan foi embora. Ela não tem família."

Paralelamente, os autores apresentam capítulos focados em outros personagens ligados ao caso ou alguém que faça parte dele, como o pai de Mikael e o psiquiatra do presídio. Os ganchos vão se prendendo, bem bacana de acompanhar.

Meu primeiro contato com essa série foi com o primeiro livro, O Hipnotista. Algumas situações são parecidas como, em boa parte da história, Joona funcionar como coadjuvante. Isso não é um problema, em vista que, o caso é a frente e acompanhamos seus passos pelos bastidores até suas ideias finais. Então temos Saga Bauer, que se torna uma figura de grande importância para investigação e ganha o foco por inúmeras páginas. Seu background é interessante e bem construído gerando uma personalidade forte e traumática. Seria lindo se ganhasse uma série só dela.

Falamos em thrillers nórdicos, as pessoas logo pensam em frieza. No meu caso, não incomoda porque vejo um tom mais realista, apesar do início, achar o clima mais leve do que no outro livro. Só no início mesmo, pois Jurek não é nada doce. Assim como um outro personagem em seu ambiente, que sua índole é tão doentia quanto. Não darei nomes, pois é interessante descobrir pelas páginas que aparências enganam e muito. Por outro lado, pecaram no desenvolvimento final desse personagem em questão, deixando pessoas da vida dele, que foram bem exploradas na narrativa, de lado.

"Tem cheiro de areia. As pontas dos dedos dele eram de porcelana e, quando ele tira a areia do saco, elas tilintam umas nas outras... e, um segundo depois, você está dormindo...".

O caso me surpreendeu pelo fato da conexão. Passei páginas questionando a obsessão de Jurek por Mikael e o fato do rapaz ainda ser muito presente no enredo, até suas páginas finais. Há mais vítimas, e cogitei se os autores deixariam a explicação, em torno delas, de lado. Porém, fui surpreendida e gostei como tudo foi se encaixando. Os autores parecem gostar de traumas familiares. A teia da investigação nos deixa empolgados por mais, a cada descoberta.

Jurek é um assassino frio, mas que nos causa certa tensão com seus momentos de silêncio. Porém, quando Saga se infiltra no presídio, é até estranho que o nosso medo não seja por ele, de fato. O momento ápice trás cenas sanguinárias; difícil prever quem sairá vivo do grande confronto. O final, deixa aquele arzinho de suspense e alguma possibilidade. Lars Kepler sabem perfeitamente como manter leitores curiosos para os próximos volumes da série.

O Homem de Areia é uma ótima dica para todos que amam uma boa investigação, sem se importar com um ar mais sanguinário. Há momentos de ação e algumas perdas. Uma me deixou bem triste. Seus capítulos curtos despertam ainda mais nossa curiosidade, com escrita ágil e coesa, deixando ganchos, e nos questiona até onde irá a vingança de seu impiedoso serial killer.

A edição está ótima, com boa revisão e diagramação. Adorei a fonte escolhida e o tamanho é bem confortável. Gostei das orelhas grandinhas. Assim como em seu primeiro volume, os capítulos também são curtos, então não se assuste se pegá-lo num dia e se deparar estar no capítulo 60. Ha! A ideia da capa é bacana, transmite o clima do enredo. Estou torcendo para que a Alfaguara lance os outros da série.

"Ela vê Jurek se curvar sobre o homem morto e arrancar a faca de seu corpo.
Um momento depois, tudo fica escuro."

Algumas adaptações confirmadas, como uma série de tv para Joona e uma adaptação solta para O Homem de Areia, para os cinemas. O Hipnotista já foi adaptado. Você pode saber mais clicando no link da resenha, na fichinha abaixo.

Autores: Lars Kepler
Título Original: The Sandman / Sandmannen
Origem: Literatura Sueca
Editora: Alfaguara
Tradução: Guilherme Miranda
ISBN: 9788556520739
Publicação: 2018
Páginas: 456
Série: Joona Lina
#1: O Hipnotista ( Resenha )
#2: O Pesadelo
#3: Eldvittnet
#4: O Homem de Areia
#5: Stalker
#6: Kaninjägaren
#7: Lazarus
O Que Tem?: Investigação, Linguagem Adulta, Violência

O Canto Cultzíneo agradece ao Grupo Companhia das Letras (Alfaguara) por ceder o exemplar para análise.

14 COMENTÁRIOS

  1. Nana, eu recebi esse livro da editora e como amo thriller policial vai ser uma das minhas próximas leituras.
    Bom saber que você gostou!
    Eu não ligo para o ar mais sanguinário. Se condiz com a história, por mim não tem problema nenhum. O ruim é quando colocam só para chocar.
    Eu estava na dúvida se tinha problema ler fora de ordem, porque nunca li nada da série. Fiquei feliz por serem livros independentes.
    :)

    Beijooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Nana!
    Adoro sagas policiais que dá pra ler os livros de forma independente porque eu nunca consigo acompanhar a ordem correta! Comecei a ler uma série da Tess Gerritsen toda errada, mas felizmente não teve problema. Inclusive, se você gosta desse tipo de livro, super indico a autora!
    Beijos!

    Mais Uma Página

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Quando eu li que fazia parte de uma série eu já fiquei receosa haha Estou tentando evitar ao máximo, mas ainda bem que são livros independentes. Gostei muito da premissa, confesso que livros que envolvem Serial Killers chamam muito mais a minha atenção. Além disso, é um thriller nórdico e é bom se aventurar em outros lugares que não estamos tão habituados. Já quero!
    Beijos

    our-constellations.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oie
    Primeira vez que vejo este livro, mas pelos teus comentários parece ser muito bom. Gostei do enredo.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Nana! Foi meu primeiro contato com os autores a achei o caso bem interessante, mas aquelas partes no local onde o Jurek ficou preso me deixaram agoniada. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  6. Oi, Nana

    Li Saga Bauer e só lembrei do Jack Bauer. Hahahaha Desculpa, está tarde e eu perco o foco, voltando...
    Eu não sabia que era uma série quando o livro chegou por aqui, não gosto de ler fora de ordem, mas nesse caso vai ter que ser assim mesmo.
    Eu nunca ouvi a expressão thriller nórdico, pra mim é tudo thriller, não importa onde se passa. Hahahaha
    Não estava por dentro desse "ar sanguinário" que você mencionou, tinha outra coisa totalmente diferente em mente, mas gostei desse ar mais denso.
    Eu não sei se vou conseguir ler esse ano ainda, espero que sim. Depois te conto o que achei! :D

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Nana, tudo bem?
    Ainda não conhecia essa série de livros, parece ser bem legal, valeu pela dica
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  8. Olá, Nana.
    Eu li dois livros dessa série que comprei naquela época das promoções de 10 reais do Submarino. Mas confesso que se comparado aos livros do gênero achei eles bem fracos. E o detetive principal não consegui ir com a cara dele. Por isso acho que é um livro que eu não lerei. Só se vir ele na caixa literária que assino, se não, não vou ler hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  9. guriaaa, adorei! ainda não tinha ouvido falar nada dessa série, mas tenho curtido essa vibe de mistérios e quero dar uma chance pra esse estilo "mais sanguinário" hahah. vou procurar ler esse livro, quero ver se eu gosto!

    um beijão,
    GABS | likegabs.blogspot.com ❥

    ResponderExcluir
  10. Oi Nana, tudo bem?
    Como amo thrillers e curti a experiência com um livro nórdico (Boneco de Neve), acho que ia me dar bem fazendo essa leitura. Mas confesso que os nomes sempre me causam estranhamento hahaha!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  11. Oi, Nana!
    Amo um suspense e gosto quando ele é bem sanguinário. Pode me chamar de louca, mas acho que isso traz um lado mais real e que dá um frio na barriga maior, né? Adoro! Já coloquei na minha wishlist.
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  12. Oi, Nana!

    Parece o tipo de livro que você adora mesmo hahaha bem cheio das investigações. Achei a premissa bem interessante, apesar de fazer um tempinho que não leio nada do gênero. Dica anotada!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Gosto muito dessas séries em que os livros podem ser lidos separadamente e melhor ainda quando se trata de suspense e investigação policial.
    A base desse livro me lembrou a história de "Silêncio dos Inocentes". Gostei bastante da sua resenha, tanto que quero conhecer esse livro e vou coloca-lo na minha lista de futuras leituras.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  14. Interessante hein Nana???
    Curti pra caramba sua resenha, acho que super leria o livro sim
    apesar de, confesso, estar fugindo de séries KKKKKK

    Beijocas da Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir

Olá, sejam bem vindxs :D
Algumas observações
- Os comentários são moderados, conteúdo odioso ou preconceituoso não será aprovado;
- Comentários que não tenham relação com a postagem e estilo propaganda serão enviados para o spam
- Comentários que desprezam o texto da postagem não serão respondidos