Filme: Ecos do Além (1999)

Tom Witzky (Kevin Bacon) é um pacato chefe de família, pai de um menino e marido dedicado, que passa seus momentos de lazer com seus amigos do bairro. Certo dia, em uma festinha, ele aceita ser hipnotizado pela cunhada Lisa (Illeana Douglas). O que deveria ser uma simples brincadeira acaba fazendo com que Tom seja assombrado por estranhas visões. Obcecado, ele tenta descobrir o que causou esta mudança.

AVISO: Esse filme contém cena de violência sexual.
Hoje vamos falar sobre um filme mais antigo, mas nem tanto, que por coincidência completou 20 anos de lançamento. Ecos do Além é um thriller sobrenatural dirigido e roteirizado por David Koepp, de A Janela Secreta. É baseado na obra de Richard Matheson, conhecido por Eu Sou a Lenda.

Tom Witzky, Kevin Bacon visto na série The Following, vive numa vizinhança em Chicago com sua esposa Maggie e o filho deles, Jake, que tem certa habilidade em se comunicar com os mortos. Durante uma festa com amigos do casal, Tom desafia sua cunhada, Lisa, Illeana Douglas vista em Um Sonho Sem Limites, a hipnotizá-lo e assim ela o faz. Porém o desafio vai além disso, e é como se Tom tivesse sua visão "invadida".

Tom começa a ter violentas visões envolvendo uma adolescente, que logo ele descobre se tratar de Samantha KozacJennifer Morrison vista na série Once Upon a Time, que desapareceu na vizinhança aos dezessete anos. Quando decidem participar de um evento no bairro, Jake fica sozinho com a babá, que é irmã de Samantha (isso não é coincidência). Ao ouvir que o menino pode se comunicar com a irmã, Debbie, Liza Weil vista na série How to Get Away With Murder, o leva da casa para contar a mãe. Mas a moça é interrompida por Tom, e a conexão dele com a irmã desaparecida cresce ainda mais.

O espírito da adolescente Samantha deseja que Tom a encontre

Apesar de negar a Debbie que conheça sua irmã, Tom decide compartilhar relatos sobre suas visões com Maggie, Kathryn Erbe vista na série Law & Order: Criminal Intent, e com o filho. Ele começa a "investigar"sobre a jovem, abordando outros moradores da vizinhança, descobrindo que alguns a viam como doida. Perguntar sobre a garota acaba por incomodar alguns desses moradores, o que leva a uma atitude trágica. Eles sabem muito mais do que dizem.

O espírito de Samantha deseja algo de Tom, e o pressiona cada vez mais através da visões, que ele precisa interpretar. Ela deseja justiça e dar respostas a sua família, restando a Tom solucionar todo caso. Contudo, mal sabe que a própria família pode ser exposta aos culpados e assim correr grande perigo.

As violentas visões pertubam Tom

Por algum motivo, outro dia me recordei desse filme, que havia assistido na Globo, quando era bem mais nova. A parte final, da resolução do caso de Samantha, é triste e bem difícil de esquecer. Você pode achar o tom sobrenatural bobo, mas o caso em si é algo que facilmente poderia ser noticiado. Muitas meninas somem, são silenciadas e seus pais jamais sabem de seu paradeiro. Aqui a vítima vê uma brecha através de uma brincadeira - não tão brincadeira assim - com a hipnose. Pois é, dizem que a pratica exibida no filme é realmente como é feita na vida real. Há até uma música após, para despertar, caso alguém acabe cedendo.

Tom não recebe bem a questão dos alertas no início, mas aprecio como ele vai se entregando e se torna disposto a ouvir a Samantha. O problema é que sua esposa não fica nada feliz com isso. Jake é o mais vulnerável com todos esses eventos, e claro, acaba deixando Maggie preocupada, trazendo alguns conflitos para o casamento. O roteiro faz com que a curiosidade de seu protagonista cresça junto com a nossa. No início aquela curiosidade, e então, mais pistas. Se bem que me incomoda a certa expectativa a mais que paira no ar, de que o espírito fará algo ruim. Não vejo Samantha como um espírito vingativo, ela quer ser encontrada e dar respostas aos seus familiares.

Nem me surpreende a forma como todo drama afeta Tom, ao longo da produção, afinal Kevin Bacon é um ator dramático maravilhoso - me deixa ser fangirl pls - e nos presenteia com alguns momentos marcantes próximos ao fim, como a escavação no quintal. A química dele com a esposa e o filho é ótima, mas acredito que com o menino seja mais forte. O menino, Zachary David Cope, aliás, tem carisma, mas sabe se lá porquê o ator não floresceu sua carreira após esse filme.

Boa parte do filme é bem tranquila, a não ser que você tenha medo de fantasmas. Do meio para o seu final, começamos a caminhar para as respostas envolvendo Samantha, então fica um pouco mais tenso. Jennifer Morrison ainda era teenzinha por aqui, assim como Lisa Weil, que interpreta sua irmã, fazendo uma pequena participação.

As visões geram conflitos no casamento de Tom e Maggie

A produção nos apresenta um ótimo roteiro, que encerra bem seus arcos - minha única ressalva é, talvez, um personagem que introduzem no meio do filme e sinto que serve pra vários nada - apesar de deixar certa brecha para uma continuação. Por outro lado, é um final que pode satisfazer e nos presentear com algumas deduções. A fotografia mais cenário deixa um clima meio de outono no filme, e conforme os minutos passam, vemos mais ainda o clima meio de derrocada cercando alguns personagens. E as lentes de Koepp amam Kevin, disso vocês podem ter certeza.

Entretanto, achei o figurino do casal meio estranho, dá impressão que os personagens tem uma aura punk rock, mas não é bem assim. Tom flerta com a música, mas vemos raros momentos disso. Talvez fosse do esteriótipo de filmes do estilo, naquela época, que era de praxe ter algo "pesado" na maquiagem ou traje, muitas vezes só por ter. Não me passou motivos, nem muito coma trilha sonora, só com Lisa, a cunhada hipnotista.

O filme sofreu certo boicote na sua época de estreia, pois muitos o consideravam cópia de O Sexto Sentido. Apesar disso, teve ótima recepção dos críticos. E sinceramente, o livro em que Ecos do Além se baseia foi lançado mil vidas antes de O Sexto Sentido... implicância sem sentido algum.

Uma continuação foi lançada em 2007, pelo canal americano Syfy, com elenco diferente.



Título Original: Stir of Echoes
Nacionalidade: Americana
Direção: David Koepp
Roteiro: David Koepp
Roteiro Adaptado?: Sim - Stir of Echoes, de Richard Matheson (Compre)
Ano: 1999
Censura: 16 anos
Duração: 1h39min
O Que Assistirei?: Thriller, Mistério, Horror
Elenco Principal: Kevin Bacon, Kathryn Erbe, Zachary David Cope, Illeana Douglas, Kevin Dunn, Jennifer Morrison, Lisa Weil, entre outros.
Trilha SonoraIMDB

Nana Barcellos

9 comentários:

  1. Olá
    Ultimamente tenho preferido ver filmes mais antigos e gosto de indicações
    Por isso já anotei esse

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eliane,
      Tomara que você curta a dica :D

      volte sempre
      bjs

      Excluir
  2. nossa acho que tbm ja vi esse filme na Globo, mas precisava rever pra me lembrar de tds os detalhes

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  3. Oi Nana,
    Mesmo o filme não sendo novo, eu não o conhecia, rs.
    Não é o meu estilo, mas fiquei surpresa pela implicância com Sexto Sentido sendo foi lançado antes... Povo doido.
    beeeijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oii Nana

    Nossa, assisti esse filme há anos e lembro que na época gostei bastantem bateu nostalgia, faz tempo aliás que não vejo falar do Kevn Bacon. Não sabia que o filme havia sofrido boicote, sacanagem isso, a trama é bem legal como vc disse e merece destaque.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Nana!! Eu lembro da estreia vagamente, talvez pelo boicote que vc citou, e não dei muito atenção. Mas vou conferir, acho que vou gostar!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Oi
    confesso que não conhecia esse filme, até porque quase não vejo filmes assim e porque eu sou meio medrosa com isso de fantasmas, mas pelo que falou parece ser um filme que vale a pena assistir.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Já fui tão apaixonada por Kevin..rsss
    Faz tempo que não vejo nada com ele. Mas me recordo muito deste filme e confesso que fiquei assustada com a marca de 20 anos.
    Hoje não sei se veria com os mesmos olhos,mas quando vi, adorei!!!! Um clichê daqueles...Mas? Muito bom!!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Oi Nana, tudo bem?
    Eu acho que já assisti esse filme, mas faz tanto tempo que nem tenho tanta certeza. De qualquer forma fiquei com vontade de ver. Mesmo que da metade pro final eu lembre de tudo, um mistério sobrenatural sempre vale à pena!

    Até mais;
    |Mente Hipercriativa (Blog) | Mente Hipercriativa (Fanpage)|

    ResponderExcluir

Olá sejam bem vindos e deixem suas opiniões, com respeito, aqui.

Algumas observações:
- Comentários que não tenham relação com a postagem, serão enviados para o spam.
- Comentários irrelevantes como: estilo copy+cola, desprezando o conteúdo da postagem, 'ah adorei a postagem', 'adorei a coluna', 'que legal o post' e outros no mesmo nível, não serão respondidos, e dependendo, serão enviados para o spam também.