Livro: Enfim, Capivaras - Luisa Geisler

Em seu primeiro livro para o público jovem adulto, a premiada autora Luisa Geisler narra uma aventura inusitada de cinco jovens em busca de uma capivara perdida. A cidade no interior de Minas Gerais para onde Vanessa se mudou é o tipo de lugar onde anunciam os horários do cinema e os obituários com o mesmo carro de som. Nada de muito interessante acontece por lá, a não ser para Binho, que, segundo ele mesmo, tem várias namoradas e conhece um monte de cantores sertanejos famosos. A verdade é que Binho é um mentiroso contumaz e agora passou dos limites: inventou que tem uma capivara de estimação. Cansados das histórias cada vez mais mirabolantes do garoto, Vanessa se junta aos amigos ― Léo, Nick e Zé Luís ― para desmascará-lo. E eles estão decididos a ir até as últimas consequências. Narrado durante as doze horas de uma noite regada a álcool, salgadinhos, segredos e romances mal resolvidos, Enfim, capivaras explora, através de diferentes pontos de vista, os relacionamentos entre um grupo de adolescentes em busca de uma capivara ― ou muito mais do que isso.

Quem nunca teve uma capivara de estimação? Ha! Queria, né?
E também, quem nunca teve um amiguinho com um pé no surrealismo de tanta mentira que conta?

Faz pouco tempo que Vanessa se mudou para uma cidadezinha no interior de Minas Gerais, mas já é o suficiente para "se sentir em casa" no grupo de amigos de Nick. Nas primeiras páginas, da narrativa que se inicia sobre esse dia super louco, os quatro amigos decidem desmascarar todas as mentiras do quinto integrante do grupo, Dênis, também conhecido como Binho (a explicação para o apelido é hilária). O garoto mente sobre qualquer coisa. Ele sempre aproveita pequenos fatos, das conversas entre eles, pra dar seu toque surreal.

Toda situação desenvolvida no livro acontece em menos de 24 horas. Os amigos decidem confrontar Binho, mas algo dentro deles deseja que tudo tenha um fundo de verdade. A última pérola foi solta durante o intervalo colegial. Binho contou a eles que tinha uma capivara de estimação. Cansados, decidiram visitá-lo de surpresa e expor todas as mentiras. Eis que menino Binho é muito esperto, sempre saindo pela tangente, e diz a eles que a capivara foi roubada.

Curiosos, e com um "culpado" em mente, partem em busca da suposta capivara perdida. Mas antes, fazem uma pausa no supermercado da pequena cidade, e se abastecem com todas as delícias e bebidas que conseguem. E foi uma escolha muito inteligente, pois conforme as horas passam, os problemas começam a surgir - o carro quebra e se perdem no matagal no meio da noite -, fora as discussões entre os amigos do grupo. Todo mundo tem sua mentirinha inocente, não é mesmo?

"Então decidimos visitar o Dênis. Com todos nós ali parados, encarando o mentiroso no ato, ele olharia descapivarado para jardins vazios e pediria desculpas. Assumiria que de fato roubou os óculos do Léo; que não tinha visto todos os animes que a Nick conhecia, além de uns que eram "desconhecidos até pra ela"; que nunca tinha visitado Porto Alegre e a família e a rua da Vanessa. Também assumiria, finalmente, que o Zé Luís nunca tinha perdido a virgindade com uma prostituta de trinta reais."

Antes de mais nada, quero deixar claro que esse livro não é infantil. Enfim, Capivaras é um jovem adulto e sua linguagem é como tal. Dizer pra vocês que achei a construção bem diferente, de um jeito bem positivo. A autora Luisa Geisler nos apresenta parte do cenário, e parte de informações sobre seus personagens, através de listas no início de cada capítulo. De fato acrescenta em seu desenvolvimento mais a interação entre os amigos, que praticamente, são os únicos que "lemos" em cena. Funciona, soando suficiente, bem feito e satisfatório. A ideia é apresentar uma trama ágil, descontraída, que só quer te entreter sem dificuldades.

A escrita de Luisa é deliciosa de acompanhar. É seu primeiro jovem adulto. Suas outras publicações pegam mais no lado dramático adulto. Uma prosa carismática e bem humorada. A trama se passa no interior de Minas, Luisa se dedica a trazer certa proximidade com a linguagem regional e as peculiaridades que rondam cidades pequenas. Eu não tenho problema com narrativa regional, a não ser quando se torna um exagero; escrita dominada por gírias/ditos locais. Mas aqui minha opinião nem conta, pois amo o jeitinho que mineiro fala. Ha!

Mencionei que cada capítulo inicia com listas. Elas focam em um personagem específico, assim o capítulo é narrado por tal. E só ajuda a história caminhar, pois eles guardam muitos segredos e sentimentos uns dos outros. Uma hora acaba por sair a explosão, claro. Vanessa acabou se mudar, está lidando com as saudades do lar e enfrenta certos problemas em casa; Leo está atraído por ela, e ela por ele, só que Leo tem namorada; Nick sabe que a namorada de Leo apronta e só está com ele por status; Zé Luis e Leo são amigos desde pequenos, e Leo é o "filho do patrão", então Zé não sabe como contar que está se relacionando com a irmã dele...

"Mas talvez toda história seja um recorte que veio de outra história. Toda história é parte de uma história maior. A gente sempre chega no meio de uma história e sempre sai antes que acabe."

Porém, meus capítulos favoritos foram os da Nick. Ela é aloka dos animes, está lidando com algumas transformações em seu eu interior, e não sabe como compartilhar isso com os amigos. Todos a definem pelas roupas ~estilo Avril início de carreira ~ que ela veste e o gênio esquentado, mas seus sentimentos mostram que ela é muito mais que isso. E é dela que parte boas críticas, inclusive sobre consumo alimentar e meio ambiente.

O final é aberto, então tem um ótimo pé para uma possível continuação. Por outro lado, minhas ressalvas caem na divisão dos capítulos, dos focos entre os amigos, e o fato de Binho-Dênis ficar de fora. Sério, eu super fiquei esperando um capítulo narrado por ele. Só o conhecemos pela opinião dos amigos, as ações descritas e diálogos. Imaginava encontrá-lo refletindo sobre os motivos que o levam a fantasiar tanto.

Enfim, Capivaras é daquelas leituras perfeitas para quem está numa ressaca literária, ou está procurando uma leitura mais relaxante, após algo pesado. O final aberto pode frustar alguns leitores, mas é uma experiência literária bem bacana, que transmite críticas importantes nas entrelinhas e, claro, nos deixa curioso pelos caminhos da aventura destes amigos. Dels me dibre me perder no meio de uma floresta pela noite. E gente, difícil não sentir fome lendo esse livro, viu? Muitas menções às guloseimas que eles compraram, e eu, só queria comer tudo.

"Quando eu tinha uns doze anos, se um garoto me dava oi no corredor, eu já estava planejando nosso casamento. Já sabia as madrinhas de cor e queria casar de All Star. Tudo meio tosco, não? Mas, hoje, se alguém me fala "Nossa, você é perfeita, eu morreria por você. De verdade, morreria por você!", fico meio: aham, tá bom, boa noite. Nada me dá arrepio mais."

Edição lida em e-book, recebido através da plataforma NetGalley, e já tinha um gostinho da final. Conferi parte da diagramação, o livro está uma graça, cheio de capivaras. Ha! Temos as fontes diferentes para início das listas, que sinaliza quem estará narrando o capítulo. Apreciei bastante da revisão, me senti vigiando uma conversa agradável entre mineiros, o jeitinho de falar e tudo mais. A capa me deixou encantada. Muito fofa! Adorei o toque com a gravatinha. Só lendo para vocês descobrirem o motivo.

Nas páginas finais, ainda encontramos uma entrevista bem bacana com a autora.


Autora: Luisa Geisler
Origem: Literatura Brasileira
Editora: Seguinte
ISBN: 9788555340857
Publicação: 2019
Páginas: 176
Série: ?
O Que Tem?: Pinóquio, Amizade, Capivara



O Canto Cultzíneo agradece à Companhia das Letras por ceder o exemplar para análise


CONFIRA TAMBÉM NAS LOJAS ABAIXO:

Nana Barcellos

12 comentários:

  1. Acreditas que tive que ir pesquisar o que são Capivaras? xD
    Parece-me a leitura ideal para mim, que ultimamente não tenho paciência para leituras muito pesadas.
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderExcluir
  2. Ainda não conhecia essa autora! O livro parece ser ótimo.
    www.achatadebatom.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nana!

    Ué. Tava crente que a história tinha uma pegada de suspense. Não tem então? Ou tem? Hahaha fiquei curiosa pra saber o que vai acontecer nessa noite, eles perdidos no matagal. Eu tinha um amigo que o pessoal chamava de pescador, sempre contando umas histórias que a gente apostava que não tinha acontecido. Fiquei bem curiosa com a história e com a escrita da autora, que eu ainda não conheço. Adorei a resenha também!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá, Nana.
    Eu já tinha visto uma resenha desse livro e ficado bem interessada. Principalmente para saber se a tal existe ou não hehe. Nunca vi uma capivara ao vivo, mas já tenho medo dela. Sou dessas que morro de medo de quase todos os bichos hehe. Assim que der vou ler ele.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi Nana! Talve eu eu seja o amigo com pé no surrealismo rsrsrsrsrs Eu adorei a premissa apesar de não gostar tanto de finais abertos rsrsrs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Oi
    parece ser uma leitura legal de se realizar, ainda mais por intercalar os capítulos entre os amigos, fiquei curiosa com essa leitura.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oiii Nana

    Esse livro parece mesmo ser perfeito pra relaxar e esquecer um pouco dos problemas da vida, eu quero muito ler, parece ser leve. Não curto muito finais abertos, mas quem sabe haja uma continuação né?

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  8. Leituras leves são tudo o que preciso no momento porque leio muitos livros mais pesados. Juro que nunca pensaria em ler esse livro se não tivesse lido a sua resenha, porque não me chamou a atenção pela capa e sinopse. Ou seja, ainda bem que li sua resenha porque fiquei com muita vontade de ler. Já tive muitos amigos com síndrome de pinóquio e muitas vezes me peguei querendo juntar guloseimas e partir em busca das capivaras deles kkkk

    Abraço,
    Parágrafo Cult

    ResponderExcluir
  9. ah gente, demais essa história da capivara de estimação! não tem como nao despertar curiosidade, com certeza ja quero ler

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  10. Estou de olho neste livro desde que o vi pela primeira vez. Até pela capa e título bem fora do comum. E aí a gente lê a resenha e já sente o coração ficar mais tranquilo. Pois não se trata somente desta capivara(se ela existe mesmo),mas da amizade destes garotos, das situações inusitadas e claro, um enredo bem leve e gostoso.
    Com certeza, espero poder conferir o quanto antes!
    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Oi, Nana!
    Não conhecia o livro ainda, mas eu fiquei apaixonada nessa trama. Sua resenha foi ótima e me deixou curiosa para saber a história do apelido. Anotei sua dica e espero gostar também!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  12. Oi Nana, tudo bem?
    Já tinha visto a capa desse livro por aí, mas não sabia a trama.
    Gostei muito da sua resenha, mas infelizmente a trama não me instigou curiosidade. :(
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir

Olá sejam bem vindos e deixem suas opiniões, com respeito, aqui.

Algumas observações:
- Comentários que não tenham relação com a postagem, serão enviados para o spam.
- Comentários irrelevantes como: estilo copy+cola, desprezando o conteúdo da postagem, 'ah adorei a postagem', 'adorei a coluna', 'que legal o post' e outros no mesmo nível, não serão respondidos, e dependendo, serão enviados para o spam também.