Livro: Ele | Nós - Elle Kennedy e Sarina Bowen

ELE. James Canning nunca descobriu como perdeu seu melhor e mais próximo amigo. Quatro anos atrás, seu tatuado, destemido e impulsivo companheiro desde a infância simplesmente cortou contato. O maior arrependimento de Ryan Wesley é ter convencido seu amigo extremamente hétero a participar de uma aposta que testou os limites da amizade deles. Agora, prestes a se enfrentarem nos times de hóquei da faculdade, ele finalmente terá a oportunidade de se desculpar. Mas, só de olhar para o seu antigo crush, Wes percebe que ainda não conseguiu superar sua paixão adolescente. Jamie esperou bastante tempo pelas respostas sobre o que aconteceu com seu relacionamento com Wes, mas, ao se reencontrarem, surgem ainda mais dúvidas. Uma noite de sexo pode estragar uma amizade? Essa e outras questões sobre si mesmos vão ter que ser respondidas quando Wesley e Jamie se veem como treinadores no mesmo acampamento de hóquei.
Hoje teremos resenha dupla!

Dizer pra vocês que quando li a sinopse de ambos os livros logo lembrei da época do Orkut, em que descobri uns eróticos nesse estilo por lá. Eu participava de umas comunidades de romances, estilo de banca, que as donas comentavam sobre alguns que jamais foram publicados por aqui. E tinha essas autoras, que focavam em adultos - super eróticos - sempre com o mesmo padrão em seus protagonistas: atletas ultra gatos que descobriam-se bissexuais. Uma amiga sempre lia os da Carol Lynne, relatando tudo comigo. Ha! Então, ao iniciar a leitura de Ele, já sabia o tom de fetiche que encontraria por aqui. Simplesmente porque é um marco nos eróticos deste estilo.

Nesta primeira parte conhecemos Wes e Jamie, dois incríveis jogadores de hóquei que estão finalizando suas atividades universitárias. Mal podem esperar pelo que o futuro profissional os reserva. Ambos viram a amizade estremecer durante um acampamento quando eram mais novos. Pela vontade de Wes se afastaram. E claro que há um motivo explosivo.

Anos atrás ambos eram só dois adolescentes. Wes já sabia que seus sentimentos por Jamie iam além de uma simples e fiel amizade. Durante um dos inúmeros confrontos no rinque do acampamento, Wes desafiara Jamie com uma aposta provocante: quem perdesse, presentearia o outro com sexo oral. O problema é que, atualmente, Wes se sente muito culpado por ter induzido toda essa questão, só por vaidade, pensando exclusivamente no que sentia. Por isso decidira se afastar de Jamie; por isso não está nem um pouco preparado para reencontrá-lo.

O reencontro se deve pelo confronto entre os times de universidades locais. Wes sabe o quanto deverá se explicar quando ficar de frente com Jamie. Ele só não esperava que o rapaz fosse tão receptivo, como se não guardasse nenhuma mágoa do ocorrido. Acabam por avivar a amizade com uma troca de presentes que costumavam fazer, dentre histórias nostálgicas e risos. Tudo ajuda aflorar ainda mais os sentimentos de Wes, e dessa vez, será difícil deixar Jamie partir.

Wes está sempre arrumando encontros em um aplicativo, mas sem firmar nada sério com os rapazes. Mas ele não é do tipo que se expõe facilmente. Parte do seu time acredita que é hétero. Por outro lado, Jamie mantém um relacionamento estilo amigos com benefícios com Holly. A família de Jamie é grande e muito unida; já a de Wes se resume entre as cobranças do pai e o desprezo dele, por saber que o filho é gay. Isso só o ajuda a ser mais decidido, além do ar de lobo solitário. Mas não será surpresa nenhuma, quando Jamie descobrir que Wes também decidira retornar ao acampamento durantes as férias. Prontíssimo para fisgá-lo.

Com a reconexão da amizade, Jamie acaba descobrindo sobre os crushzinhos do amigo e todos relatos possíveis, porque Wes não é nada bobo e deseja provocá-lo. É o que coloca em pauta uma estranha atração que Jamie começa a nutrir por Wes. E antes de partirem no caminho que seus destinos lhe reservam, decidem aproveitar cada minuto como se fosse último. Com muito prazer, é claro.

"O cara está fodendo com a minha cabeça. Primeiro age como se nada tivesse acontecido. Depois me dispensa para dar uma "dormida". Mas nem ferrando que era isso que ele estava fazendo. Quer dizer, não nasci ontem. Quando voltei para o quarto e encontrei Jamie de pé com cara de culpado, tudo ficou claro. O filho da puta estava batendo uma."

Bom, preciso lembrá-los que o conteúdo desse livro é ADULTO. As cenas eróticas são bem descritivas, mas bem escritas. Um ponto que me deixou surpresa. Ha! Nunca li nada de Sarina Bowen, apesar de ter alguns de seus e-books no Kindle, então não posso apontar muito das características de sua escrita. Elle Kennedy conheço bem, gosto do tom divertido de suas narrativas, e já sei que ama enaltecer os Deuses do Olimpo. E, pelo menos neste volume, o humor não deixa a desejar. Há momentos bem divertidos sim, o que ajuda a leitura fluir. Como o comentário da autora Colleen Hoover na contracapa, também li numa sentada.

E ler numa sentada nem sempre significa excelência. Criei um misto de sentimentos em relação a Ele. Altos e baixos. Vamos começar pelas coisas boas: Jamie é meu favorito. Toda linha de construção dele me encantou de primeira. Adoro personagens com família gigante e falante. E, além do mais, mãezinha super fofa, gente de bem, uns doidinhos e acolhedores. E Jamie puxou parte dessas qualidades. O rapaz decidiu inscrever-se no acampamento de novo só para ensinar aos meninos aquilo que ele amava e que aprendeu durante toda vida. E daí Wes chegou lá, com fogo no rabo.

Não consegui simpatizar com Wes em nenhuma das duas partes. Ele é muito egocêntrico. Muitas vezes o que ele deseja vem em primeiro lugar. Se vê pela aposta, né? Fora os comentários machistas dispensáveis. Ele não diz em voz alta, mas ama a possibilidade de se tornar famoso e idolatrado. Ainda mais que está prestes a ir para Toronto e investir na carreira. Embora a questão com o pai dele seja algo a favor em sua construção, pois tira um pouco do ar perfeito do romance; não há uma conclusão sobre isso.

"E quando for pra Toronto não vai poder rolar nada", ele diz, sombrio. "O celibato vai ser um saco."

E falando no ar perfeito incluído neste romance, é difícil não notar a falta de obstáculos entre eles. Pois é, eu mencionei lá no início que já esperava o que encontrar por aqui; sabia que seria um desenvolvimento rápido. Mas estamos falando de um romance LGBT, e acaba por soar fantasioso. Não serei injusta, há um dramazinho básico com um dos pais, de um dos alunos do acampamento, mas se resolve rápido e sem emoção.

No geral, me diverti em vários momentos lendo Ele. Jamie é adorável. Como casal até que consigo gostar do Wes, mas não sozinho. Ha! Elle e Sarina deixam o gancho perfeito para a continuação. Pelo caminhar da narrativa, o leitor já se situa que haverá uma escolha difícil entre eles. Sempre tento tirar o máximo do lado positivo de minhas leituras, mas não acho certo esconder o que me incomoda. Ressalvo que se você deseja lê-lo, faça e forme sua opinião.

Minha edição é uma prova física, que ganhei numa promoção via Twitter, no perfil da Paralela. Chegou toda amorzinho, com post-it e aquele marcador grandão com as cores da bandeira LGBTQ+. Não posso comentar sobre a revisão, pelo fato de ser uma prova, mas não me alarmou com erros. As duas capas são maravilhosas. Já os capítulos seguem o padrão dos outros livros da Elle, cada um com ponto de vista de um dos protagonistas, em primeira pessoa.

"O verão tira uma com nossa cara. Sempre termina."

Assim como existem romances amenos fofinhos e apimentados héteros, também há os LGBTs. E olha que lá naquela época do Orkut, pensava que jamais testemunharia uma publicação desses apimentados LGBTs por aqui, achava que eles viveriam como proibidão da internet. Então palmas para todas as editoras que trazem eles, e também os românticos e dramáticos, e ainda expõem na capas. Isso é importante demais.

Autoras: Elle Kennedy e Sarina Bowen
Título Original: Him
Origem: Literatura Americana
Editora: Paralela
Tradução: Lígia Azevedo
ISBN: 9788584391202
Publicação: 2018
Páginas: 256
Série: Sim - Him
#1: Ele
#2: Nós
SÉRIE SPIN-OFF: WAGs
O Que Tem?: Erótico, Hóquei, Romance, Jamie Fofo

LinksSkoob Compre Físico - Compre E-book - No Site da Editora - Site da Autora 1 - Site da Autora 2
O Canto Cultzíneo agradece ao Grupo Compania das Letras (Paralela) por ceder o exemplar para análise.

*****

NÓS. Será que seus jogadores de hóquei preferidos terminarão a primeira temporada juntos e invictos? Ryan Wesley (Wes) e James (Jamie) Canning se conheceram num acampamento de hóquei quando crianças. A amizade entre os dois cresceu pouco a pouco até que um acontecimento inesperado os afastou. Quando eles se reencontram na faculdade, ambos já adultos, se apaixonam e iniciam uma nova relação, agora de amor. Por motivos profissionais, Wes não quer que seu relacionamento se torne público, mas um de seus colegas de time se muda para o mesmo prédio onde ele está morando com Jamie, e a vida secreta que os dois construíram cuidadosamente corre o risco de ruir. Com o mundo externo pronto para testá-los, Jamie e Wes precisam descobrir do que são capazes em nome do amor que têm um pelo outro. “Momentos sexy, muito amor, emoções à flor da pele e personagens secundários fantásticos… Nós é desesperador, apaixonante e muito hot!” ― Lauren Blakely, autora best-seller do New York Times

Na segunda e última parte, Wes e Jamie acreditam que estão vivendo seu "felizes para sempre". Pelo menos Wes acredita que nada está incomodando o mozão. A escolha que Jamie fizera, no final do volume anterior, parecia perfeita para os dois manterem um relacionamento seguro e próximo. Eles vivem em Toronto há oito meses. Wes colhe as bonanças de seus grandes jogos, enquanto Jamie realiza um trabalho parecido com o do acampamento, treinando jovens obcecados pelo hóquei. A diferença de salário é imensa.

Como decidiu manter seu relacionamento com Jamie em segredo, Wes é visto como um solteiro cobiçado pelos amigos do time, que estão sempre lhe arrumando festas, e querendo lhe apresentar a alguma garota. Um deles, Blake, acaba se tornando uma sombra; até se muda para o prédio onde os dois moram. É o alívio cômico do romance. Está sempre invadindo o apartamento deles, comendo as coisas, mexendo na televisão e se jogando no sofá. Folga pura. Nenhum dos dois têm um pingo de paciência, mas aceitam, mesmo com medo de serem descobertos e expostos.

O relacionamento deles segue ainda mais fogoso. Trocam fotos divertidas, e Wes parece insaciável. Mas viver como um casal isolado num prédio não é sonho de ninguém. Jamie deseja sair, ir ao cinema, se divertir. Muitas vezes acaba sabotado pelos compromissos de Wes com o time. No fim, sobra cuidar do apartamento dele. Jamie cuida, passa, lava, cozinha... enquanto Wes banca boa parte das despesas. Parte que também começa a desagradá-lo.

Conforme a carreira de Wes cresce, a solidão de Jamie também. Wes ainda não está preparado para assumi-los, necessitando de mais alguns meses para estabilizar sua carreira. Será que estar juntos não é o suficiente? Ambos só queriam ficar juntos e felizes, mas há algo no ar que entristece Jamie, o levando a questionar sua nova vida e escolhas. Eventualmente, a falta de comunicação se torna constante. O que será que Wes precisará fazer dessa vez para garantir que Jamie não o deixe?

"Minha mãe uma vez pintou uma citação antiga em um prato de cerâmica: O amor é a amizade que pegou fogo. Entendo agora."

Essa parte pertence a Jamie. Os sentimentos dele entram em conflito e, nossa, até doente ele fica. Há tons mais dramáticos que o primeiro, dando espaço para aquele clichê do sacrifício por amor que todos amam. As autoras optaram por cenas mais emotivas, assim como o bom humor continua presente. Bom, e como o cenário agora é no Canadá, e a galera lá é mais mente aberta, talvez o tom "sem grandes obstáculos" não incomode tanto.

Wes está super preocupado com o fato de expor o relacionamento, então Jamie tenta controlar parte de sua opinião. Mas não quer dizer que ele engula certas ofensas facilmente, em seu ambiente de trabalho. Por outro lado, Wes está sempre se divertindo com o time, e sempre rola o "evitar questões", o que afasta Jamie dos colegas dele. Menos de Blake, que ao se mudar, passa se sentir em casa no apartamento dos rapazes. Ele é demais. Ha!

Nessa parte também não consegui simpatizar com Wes, pois não notei grandes diferenças em sua construção. Mas nas últimas cenas ele fica um amorzinho e, daí, a gente torce e muito pela felicidade dos dois. Acredito que só na primeira parte deste volume há momentos mais quentes, depois eles ficam distantes, apesar de continuarem bem descritivas.

"Mal posso esperar pelo dia em que vou poder ter o orgulho de apresentar Jamie Canning como meu namorado. Quando vou poder falar com os caras do time sobre minha vida pessoal, contar que a família de Jamie é incrível ou convidar alguém pra beber alguma coisa sem que Jamie tenha que se esconder no quarto de hóspedes se tiver que ir dormir. Ele não é um hóspede no meu apartamento, droga. É a casa dele. E ele é minha casa."

Um ponto divertido, que não posso deixar de comentar, são as peculiaridades em torno da vida doméstica de um casal. Um exemplo é a implicância de Jamie em torno de um sofá querido por Wes. Jamie acredita que alguém morreu ali e insiste pra que Wes jogue fora. Jamie é que mantém a casa organizada, a opinião doméstica dele é bem firme. Ha!

De cara, nota-se que Nós apresenta o capitulo mais adorável do romance entre Jamie e Wes. O tom mais dramático pairando entre os dois foi um grande acerto. E talvez seja por isso que a leitura não soe tão fluída - leitura de uma sentada - quanto sua introdução, ou talvez, seja nossa vontade desejando mais um pouquinho dos momentos divertidos que esse casal nos proporciona. E Blake... que aliás, retorna como protagonista num dos livros da série spin-off WAGs. Lá está ao lado da irmã de Jamie, quem ele acaba por conhecer por aqui. Ha! 

Edição lida em e-book, cedido pela editora através da plataforma NetGalley, e ainda não era a final. A capa segue o mesmo padrão da primeira parte e é ainda mais linda.

Autoras: Elle Kennedy e Sarina Bowen
Título Original: Us
Origem: Literatura Americana
Editora: Paralela
Tradução: Lígia Azevedo
ISBN: 9788584391417
Publicação: 2019
Páginas: 240
Série: Sim - Him
#1: Ele
#2: Nós
SÉRIE SPIN-OFF: WAGs
O Que Tem?: Erótico, Hóquei, Romance, Jamie Fofo

LinksSkoob Compre Físico - Compre E-book - No Site da Editora - Site da Autora 1 - Site da Autora 2
O Canto Cultzíneo agradece ao Grupo Compania das Letras (Paralela) por ceder o exemplar para análise.


CONFIRA TAMBÉM NAS LOJAS ABAIXO:

9 COMENTÁRIOS

  1. Oi Nana,
    Confesso que não tenho muita vontade de ler livros LGBT pois não fazem muito parte da minha realidade. Sei que alguns podem dizer que estou errada e tal, então resolvi comprar um e arriscar a leitura.
    Tomara que eu goste, talvez até arrisque esse, pois eu gosto da Elle.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Nana! Eu não tenho muita vontade de ler estes dois livros, apesar de serem bem elogiados e eu gostar da autora, mas no momento não é o que venho procurando.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  3. Olá, Nana.
    Eu não pretendo ler os livros por causa do tanto de resenha que já li deles falando sobre os pontos negativos do Wes. Eu acho que ia implicar tanto com ele que acabaria não curtindo a história.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Oi Nana, tudo bem?
    Romance nunca foi muito a minha praia, mas ás vezes eu leio. Principalmente quando estou na ressaca literária depois de algum terror ou policial. Já eróticos, não me sinto nada confortável lendo... hahaha.. por enquanto eu deixo passar, mas quem sabe um dia.

    Até mais;
    |Mente Hipercriativa (Blog) | Mente Hipercriativa (Fanpage)|

    ResponderExcluir
  5. Oi Nana, eu gosto muito da narrativa da autora Elle e acho que Ele dividiu bastante as opiniões, eu tenho curiosidade, espero gostar, mas atenta no Wes rsrrs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Oi Nana!

    Li Ele e apesar de ter gostado, senti que a narrativa pendeu demais para a pegação e que faltou história. Estou curiosa para ler Nós e fico feliz em perceber através da sua resenha que as autores abordaram mais o relacionamento deles.

    Espero ter a oportunidade de ler Nós em breve, porque agora fiquei ainda mais curiosa. rs...

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  7. Olá...
    Ultimamente venho lendo muuuuitas resenhas desse livro aqui na blogosfera e a cada uma que leio meu desejo de realizar a leitura aumenta mais! Acho que não vou gostar dessas cenas hot descritivas demais, mas, é só pular, né?
    Bjão

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi Nana,
    Vi várias resenhas desses livros, mas confesso que a história em si não me chamou atenção.
    Tem outros livros com essa temática que me interessam, então é mais pelo enredo mesmo que não tenho vontade de ler.

    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Nana, tudo bem? Confesso que livros adultos não me chamam muita atenção..

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir

Olá, sejam bem vindxs :D
Algumas observações:
- Os comentários são moderados, conteúdo odioso ou preconceituoso não será aprovado;
- Comentários que não tenham relação com a postagem e estilo propaganda serão enviados para o spam;
- Comentários que desprezam o texto da postagem não serão respondidos.