Livro: Lobo de Rua - Jana P. Bianchi

Raul é um morador de rua, um homem invisível e desgraçado como tantos os outros. Como se sua desgraça não fosse suficiente, Raul contrai a maldição da licantropia, tornando-se um lamentável lobo de rua. Tito Agnelli não compartilha do abandono de Raul, mas conhece muito bem a sensação de ser rasgado por dentro, todos os meses, pela coisa vil que se abriga nele. Assim, compadecido com o sofrimento do recém-transformado, Tito acolhe Raul na Alcateia de São Paulo, extinta até então por falta de lobisomens residentes na Pauliceia. Depois de décadas de contaminação, Tito conhece cada detalhe da maldição que o transforma em lobisomem. Além disso, conhece também a Galeria Creta, um lugar em São Paulo onde ele e outros dos seus são bem vindos nas noites de lua. Basta pagar o preço.
Esta história é um prequel da série A Galeria Creta, que terá seu primeiro volume lançado em breve. O universo da autora envolve uma galeria nos submundos de São Paulo, onde a realização de todo e qualquer desejo pode ser encontrada à venda, sob a gerência do misterioso Minotauro.

As primeiras páginas iniciam a história de forma tensa, pois Raul está lidando com uma transformação e a sede por sangue o domina. Ele contraiu a licantropia e toda lua cheia precisa encarar o fato de se tornar um lobisomem. A doença é sexualmente transmissível e não atinge mulheres. Vivendo pelas ruas de São Paulo, o menino se tornara um alvo fácil, assim como suas vítimas. Mas Raul não faz ideia de como lidar com os atos sanguinários e com o que passa com seu corpo e mente. É aí que o italiano Tito cruza seu caminho.

Tito carrega anos de histórias nas costas,  sabe como ter um lobo novato pelas ruas pode ser perigoso. A possibilidade de uma imprevisível invasão de caçadores sempre o deixa em alerta. Decido a não chamar atenção, o senhor acolhe Raul e o tira das ruas por algumas horas, dando-lhe um teto, banho, descanso e comida. Embora essas poucas horas sejam o suficiente para que ganhe a afeição do menino, despertando certo lado paternal. Mas não se enganem, Tito já passara por essa conexão inúmeras vezes. Tristemente.

Altamente informado sobre os momentos doloridos pré-transformação, Tito tenta acalmar Raul oferecendo-lhe a possibilidade de um misterioso lugar o qual não poderá voltar-se contra conhecidos em seus pontos na rua. Quando se alimenta de um ser humano, o lobo paga um preço eterno e atormentador por aquela saciedade momentânea. Raul acredita que jamais conseguirá lidar com essas consequências, mas se apóia na proposta de Tito.

A caminho do refúgio, eles encontram uma misteriosa mulher que trabalha como vidente. Lá um casal já está a postos para uma futura consulta. Por outro lado, Raul e Tito estão prontos para encontrar o tal refúgio e superar mais uma noite funesta. Brecha perfeita da autora para atiçar a curiosidade dos leitores para o primeiro volume de sua série. Mas será que ambos conseguirão lidar com mais essa lua?

"- Desculpe o assunto nojento, mas é preciso falar. Veja, não é frescura: alimentar-se de humanos, além de não ser uma boa ideia do ponto de vista moral, é também um péssimo negócio para o nosso corpo e para nossa mente. - Baixou a voz até um mero sussurro. - Raul, ragazzo, eu não li isso em livro nenhum, mas posso te garantir: quando você devora um humano, é como se alma do finado ficasse aprisionada dentro de você. Pra sempre."

Desde que li uma resenha sobre esse livro no Queria Estar Lendo fiquei super empolgada para conhecê-lo, simplesmente porque leio quase nada de narrativas focadas em lobisomens, apesar de ser uma figura sobrenatural que curto. É aquela coisa: assisto mais que leio. Acrescentando o fato de ser nacional, sem se deixar levar por um cenário gringo - e dizer que há informações sobre universo sobrenatural de outros estados, que já me deixou em alerta. Não é muito comum, né? Lobo de Rua se passa em várias localidades de São Paulo. Mesmo em poucas páginas, Jana consegue nos encantar com uma ótima descrição de cenário, nos colocando perfeitamente nos pés de seu protagonista Raul.

Raul é jovem e passou parte de sua vida sobrevivendo nas ruas. Ao ser contaminado e experimentar todo processo da transformação, acaba por se expor, pois não tem ideia do motivo daquelas sensações; por estar acontecendo com ele. Não consegue fugir da incessante fome e, sem piedade, ataca outros em situação de rua. E é assim que o livro inicia, nos jogando o dilema de Raul ao escolher sua próxima refeição. Meio violento? Sim. Mas é um bom ponto para que o leitor já aprecie parte da construção da autora; cheia de cuidado e detalhes. Do processo da contaminação, a humanização na personalidade de Raul, das sensações, das lendas, das pesquisas e mais...

A autora inclui fatos históricos para fixar que os lobisomens vivem entre nós desde sempre. O legal é que nada soa forçado, pois temos a presença de Tito e seus tantos anos, com muita história pra contar. Está sempre com livros de pesquisa, o que até rende um momento "livro dentro de um livro" com os capítulos iniciando com parte de uma publicação de um pesquisador do mundo lupino. E nota-se como batem com os acontecimentos em torno de Raul e Tito.

Como estamos falando de um prequel, acredito que não seja aconselhável poluir esse tipo de narrativa com trocentos personagens. Então a autora meio que adia a introdução de coadjuvantes - que certamente serão de suma importância nesse universo - e impossível não nos deixar super curiosos. Principalmente a vidente e o ser denominado Minotauro. A interação é bem feita e no momento certo. A história tem diálogos simpáticos, que conseguem até transparecer certo bom humor em meio tanto medo e sangue.

"-... o último [caçador] Onofre Fagundes, morreu no início da década de oitenta, em uma expedição de caça na Floresta Amazônica, mordido por uma das mais malditas criaturas dos infernos.
- Por um lobisomem? - perguntou Raul.
- Não...
- Vampiro, então?
- Não, pô. Por um mosquito."

Lobo de Rua é a dica perfeita para você se deliciar com uma fantasia urbana nacional. Leitura de um dia, e fins de capítulos com belos ganchos, certamente te deixará ansioso para o lançamento oficial da série. Por outro lado, você pode querer respostas sobre algumas questões e personagens apresentados nesse livro, assim como eu, e a única resposta possível será: ela deve abordar nos próximos volumes. Algo que pode desanimar. Ah, e o final não é de todo feliz. Fiquei surpresa, e me soou muito corajoso, aliás.

Edição lida em e-book. Apesar da foto no Kindle, a leitura foi feita pelo celular porque o e-book foi adquirido na loja online de livros do Google, a PlayLivros. A edição está lindíssima. A imagem que abre cada capítulo é parte da ilustração da capa, que também só valoriza o trabalho da autora. A fonte título também é usada em títulos pelas páginas. Nas primeiras páginas acompanhamos opiniões de alguns autores, enquanto nas páginas finais temos uma entrevista com a autora. Primeira obra que leio da editora. Adorei todo cuidado, revisão e organização do e-book.

*E-book disponível no Kindle Unlimited (no momento da publicação, pode alterar futuramente)


Autora: Jana P. Bianchi
Origem: Literatura Brasileira
Editora: Dame Blanche
ISBN: 9788592997014
Publicação: 2016
Páginas: 122
Série: Sim - A Galeria Creta
#0.5: Lobo de Rua
#1: ?
O Que Tem?: Terror, Lobo, São Paulo, Vidente, Violência

10 COMENTÁRIOS

  1. super legal conhecer essa fantasia urbana nacional, fiquei sim bem curiosa com a leitura desse livro!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Oi Nana,
    EU não sou uma fã de sobrenatural, lobos e tal, mas ver nossa literatura crescendo é algo que me empolga!
    E gosto quando o prequel é lançado antes da história original, porque faz sentido. Quando é lançado depois, a gente acha que é só para conseguir dinheiro do povo, rs.
    beeeijos
    Embaixadora da Boa Vontade na ONU

    ResponderExcluir
  3. Ops, rs. Foi errado o cópia e cola né AHAHAHAHHAHAHHA
    http://estante-da-ale.blogspot.com/
    DESCULPA! rs

    ResponderExcluir
  4. Olá, Nana.
    Eu lembro de ter lido a resenha da Denise e me interessado por ele. Eu li pouco sobre lobisomens também, e os que li foram livros de série que nem chegaram a publicar todos por aqui no Brasil. Isso de se passar em território nacional é um grande ponto a favor da autora. Vou anotar aqui para uma futura leitura.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi Nana,
    Apesar de não ser muito meu estilo, fiquei bem curiosa com a sua resenha da obra.
    Vou anotar como dica, pois talvez eu leia mais para a frente.

    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  6. Oi Nana, eu gosto de histórias com Lobisomens e a ambientação parece bem bacana! É um história curta, acho que vou gostar!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Oi Nana, tudo bem?
    Eita que o prequel já não termina feliz? Imagino o que aguarda os leitores na série!
    Achei bem legal a proposta, assim como você eu não leio muitos livros sobre licantropia, mas acho mega interessante.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  8. Oiieee

    É dificil achar fantasia nacional ambientada no Brasil e acho essas raridadeds sempre uma delicia porque a gente consegue identificar nossa cultura e até os lugares, e isso é sempre bacana. Já anotei esse titulo, vou ver se está disponível no Unlimited pra conferir sem falta.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  9. Oi
    legal que gostou da historia, curto enredo sobrenatural e que bom que gostou e espero que quando ler os livros que vão ser lançados espero que goste, que bom que se passa no Brasil, eu gostei da capa.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Oi, Nana

    Tá aí uma coisa que eu nunca li: uma fantasia urbana nacional.
    Eu não curto o gênero fantasia em si, e quando há elementos sobrenaturais no meio a coisa, pra mim, fica ainda pior. Acho que toda minha cota pra livros desses gêneros ficou lá na época de Crepúsculo, que foi quando eu consumi uma penca de livros de vampiros e lobisomens. Hoje em dia ando com pouquíssima boa vontade com os, gênero é algo que não consigo evitar.
    Porém, por ser nacional e por não gringolizar o enredo, esse prequel tem ao menos minha simpatia. Vamos ver se a vontade de ler surge quando o primeiro volume for lançado.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir

Olá, sejam bem vindxs :D
Algumas observações:
- Os comentários são moderados, conteúdo odioso ou preconceituoso não será aprovado;
- Comentários que não tenham relação com a postagem e estilo propaganda serão enviados para o spam;
- Comentários que desprezam o texto da postagem não serão respondidos.