Livro: Um Amor Para Recordar - Nicholas Sparks #TOCANDOAMOR

“Cada mês de abril, quando o vento sopra do mar e se mistura com o perfume de violetas, Landon Carter recorda seu último ano na High Beaufort. Isso era 1958, e Landon já tinha namorado uma ou duas meninas. Ele sempre jurou que já tinha se apaixonado antes. Certamente a última pessoa na cidade que pensava em se apaixonar era Jamie Sullivan, a filha do pastor da Igreja Batista da cidade. A menina quieta que carregava sempre uma Bíblia com seus materiais escolares. Jamie parecia contente em viver num mundo diferente dos outros adolescentes. Ela cuidava de seu pai viúvo, salvava os animais machucados, e auxiliava o orfanato local. Nenhum menino havia a convidado para sair. Nem Landon havia sonhado com isso. Em seguida, uma reviravolta do destino fez de Jamie sua parceira para o baile, e a vida de Landon Carter nunca mais foi a mesma.”
A própria desgraça ler este livro com Only Hope tocando na cabeça...

Em Um Amor Para Recordar vamos conhecer Landon Carter, já na casa dos 50 anos, que decide nos relatar sobre uma época marcante no final dos anos 50, quando estava com dezessete anos e prestes a finalizar o ensino médio.

O romance tem como cenário Beaufort, na Carolina do Norte, um local litorâneo, de baixa população e muito religioso. A família de Landon era bem conhecida na cidade por suas posses, mas não de maneira positiva. O avô do garoto não usou de bons meios para alcançar sucesso em sua vida financeira, e sempre soube-se das rasteiras que dera em algumas pessoas, o que inclui o Reverendo Sullivan, uma das almas mais queridas da cidade naquela época.

A época natalina se aproximava, assim como o baile de ex alunos no colégio de Landon. Com ajuda de seu melhor amigo, Eric, se tornou presidente do grêmio estudantil e adicionou algo mais em sua inscrição para faculdade. Landon e o pai não mantinham uma boa relação, e aquilo já era um passo para apagar um pouco do ar imaturo aos olhos paternal. Com toda organização para o baile, Landon perdeu boa parte das oportunidades em conseguir uma companhia. Foi quando ele decidiu convidar Jamie Sullivan, a filha do reverendo.

Jamie Sullivan cresceu perante o olhar conservador do pai e era tão religiosa quanto ele. Ela não era como as outras garotas que costumavam sair com a turma de Landon, e gastar tempo azucrinando no cemitério local. Seus passos a levavam - apenas - para a escola, a igreja e o orfanato. Assim como o pai, ela também era muito querida pelos moradores da cidade, embora enfrentasse certa distância dos colegas de classe por sua personalidade. E em meio a animosidade entre seu pai e a família de Landon, nunca esperaria uma grande amizade com ele. Até o convite para o baile.

Jamie o fez prometer: "não se apaixone por mim."; nem era a pretensão de Landon, já que esperava o mínimo de interação com ela durante o evento e, também, nos próximos dias. Landon era um garoto que priorizava aparências, sobretudo o olhar de seus amigos em relação à súbita conexão com Jamie. Após o baile, tudo parecia seguir como planejado. Então Jamie necessitou da troca de favores, o selecionando para a aclamada apresentação natalina da igreja.

O período de ensaios mais todo clima anterior à apresentação levaram o jovem a confirmar o que todos já sabiam: ele estava gostando de Jamie; ela era sua amiga. Ele começou a fazer coisas para agradá-la, mesmo em momentos em que seu ego o prendia. Conforme os dias passavam, a promessa requisitada por Jamie se via a esmo, já que Landon a enxergava como outra pessoa, como talvez o amor de sua vida; aquela que lhe ensinou grandes lições e que despedaçou suas convicções com um terrível segredo.

"No início você vai sorrir e, depois, chorar."

Menines, quanto tempo não lia nada do sr. Sparks. Minha exagerada animação por ele se deu na época em que inaugurei o blog, então aí vocês já devem supor a quantidade de livros dele - comprados por impulso - não lidos na estante. Mas pretendo lê-los em breve, porque quero doar e, outros, trocar pelas novas edições da Arqueiro; como este, apesar da nota, é uma história marcante e bonita, e que nos mostra a importância de aproveitar cada minuto do dia ao lado de quem amamos; além, claro, da questão do "não julgue pela capa".

O autor tem sua doutrina e traz para a narrativa na construção dos personagens; ele mesmo já disse que TODOS seus personagens são cristãos e tals. Não sou muito fã de enredos tão moralistas, mas tento manter minha mente aberta pra tudo que começo a ler. Entretanto, fiquei um pouco entristecida por Jamie ser resumida a apenas isso, apesar de seu lindo lado generoso, otimista e inspirador. Suas interações com Landon são sempre sobre as mesmas coisas enquanto ele sempre tem baitas novidades. Vejam, estou falando em relação aos acontecimentos prévios à última parte, que eles aproveitam bastante do início da relação, com encontros e passeios.

A escrita de Nicholas Sparks é sensível, ágil e até com certo humor. O romance dramático é narrado por Landon, aos cinquenta e sete anos, e faz uso de quebra da quarta parede. O jovem Landon não é tão fácil de simpatizar, em vista que é um rapaz que enxerga defeito em tudo e todos. É o típico adolescente que quer manter a imagem, e é interessante assisti-lo quebrar suas antipatias a cada conexão com Jamie.

" - Bem, você sabe que é amor quando tudo que quer fazer é ficar junto da outra pessoa, e tem a impressão de que é o que a outra pessoa quer também."

É inegável que o coadjuvante de maior destaque seja o reverendo, pai de Jamie. Suas dores o moldam. A simbologia em torno da apresentação natalina é muito bonita - minha parte favorita, aliás - embora ache divertido o motivo dele ter eliminado o lance dos fantasmas de Um Conto de Natal. Agora, algo estranho é o fato de não sabermos os nomes dos pais de Landon.

A leitura é bem rápida; o enredo toma pouco menos de duzentas páginas. A última parte garante um toque mais emotivo, pode soar pesado para os mais sensíveis - mas com uma cena final bem linda e tocante. Este tipo de abordagem mexe mais com meu emocional quando assisto. Ha! E preciso mencionar que almejei um pouco mais após o fim do relato de Landon. Quis saber o pós: Landon foi para faculdade? Como ficou o relacionamento dele com o reverendo? Continuou o trabalho com os órfãos? E outras tantas perguntas que ficaram pipocando na minha mente.

"- Não pode se apaixonar por mim, Landon."

Um Amor Para Recordar é a dica perfeita para os amantes da literatura Kleenex. E é um clássico Nicholas Sparks, né? Bem do início da carreira dele, e dá pra notar diferenças na escrita, comparando com suas publicações atuais. A ideia é uma homenagem à irmã de Sparks, Danielle, que faleceu devido ao câncer mais ou menos na época da publicação. E, sinceramente, não entendi nada daquela cena final do Landon adulto. Achei que ele fosse revelar alguma coisa?

Edição lida é a da Novo Conceito. Apreciei bastante a diagramação, com texto justificado e fonte em ótimo tamanho. A capa não simpatizo muito, prefiro as novas que estão seguindo um padrão bonitinho. Não notei grandes alertas na revisão. Separe os lenços.

E, dos poucos Sparks lidos, continuo achando Querido John o melhor, e vocês?

*Adaptações:

- Um Amor Para Recordar (2002) | Filme
. Adaptação estrelada por Mandy Moore e Shane West;
. Não se passa nos anos 50, mas nos anos 90. A ideia era criar uma conexão maior com os jovens da época do lançamento d adaptação;
. Há várias outras mudanças na adaptação, mas é uma praxe nas adaptações Sparks, né? Parece que o povo reescreve o livro na tela. Ha!

Autor: Nicholas Sparks
Título Original: A Walk to Remember
Origem: Literatura Americana
Editora: Novo Conceito
Tradução: Ivar Panazzolo Júnior
ISBN: 9788563219268
Publicação: ed. 2011
Páginas: 184
Série: Não
O Que Tem? Natal, Romance Dramático, Lágrimas

9 COMENTÁRIOS

  1. Oi Nana, como você está?
    Eu não li o livro, porque a adaptação me destrói de uma maneira... É incrível, posso assistir mil vezes que eu choro em todas elas.
    Confesso que no início da minha vida de leitora, queria ler tudo do Tio Nick, mas hoje não tenho mais aquela empolgação...
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Nana! Faz um tempão que não leio nada dele e esta história eu conheço só do filme. Embora muitos achem o autor repetitivo, eu gosto de suas histórias e acho que ele sabe comover um leitor como ninguém. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  3. Oi Nana.
    Minha relação com o Sparks é meia que de amor e ódio. kkkkk Tem livros dele que gosto, e tem outros que não curto mesmo. Eu não li esse, por motivos de que assisti ao filme primeiro e depois de um tempo que soube do livro, e como essa história me faz chorar litros, preferi não ler. Que bom que a leitura fluiu bem para você.
    Bjus

    ResponderExcluir
  4. Olá, Nana.
    Meu favorito dele é A Ultima Musica. O livro não o filme hehe. E foi por causa dele que fiz igual você e comprei um monte de livros do autor que ainda não li vários hehe. Esse eu gosto bastante, mas o filme acho ainda melhor e me acabo de chorar todas as vezes que assisto hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi
    eu gosto muito dessa história, eu tenho muitos livros do autor, as minhas edições já são antigas da novo conceito, mas gosto delas, faz tempo que não leio nada dele e olha que tenho 3 livros do autor esperando para serem lidos. que bom que gostou.
    Eu também gosto muito do filme.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Realmente não faz meu estilo de leitura...
    Lembro que assisti ao filme na época da escola e não gostei.
    Mas pra que curte histórias assim é uma boa pedida :)

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Nana, tudo bem?

    Nunca li o livro, e confesso que a primeira fez que assisti ao filme não achei isso tudo. Foi só na segunda vez que assisti que fiquei completamente destruída, algo que acontece até hoje.

    São poucos livros do Sparks que li e gostei. Então prefiro nessa caso ficar só com a visão que tenho do filme.

    Beijos;*
    Ariane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  8. Minha irmã, quando adolescente, era fã desse autor, tanto que ela o chamava pelo apelido carinhoso de Tio Nick, haha. Ela tem vários livros dele, e eu sempre peguei um ou outro emprestado para ler, mas nunca consegui terminar, sempre abandonei o livros de Nicholas Sparks, mas confesso que o enredo de Amor Para Recordar me chamou a atenção, e talvez eu leia principalmente por que é um livro curto, com menos de 200 páginas.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  9. Oi, Nana!

    Pelo jeito sua experiência com a leitura foi bem melhor do que a minha hahah eu gostei do livro, mas acho que fiquei tanto com o filme na cabeça que não soube separar bem e aceitar que aquele era o original kk mas fico feliz por você ter gostado!! De qualquer maneira, um amor para recordar é de emocionar e nos fazer repensar em muitas coisas.

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Olá, sejam bem vindxs :D
Algumas observações
- Os comentários são moderados, conteúdo odioso ou preconceituoso não será aprovado;
- Comentários que não tenham relação com a postagem e estilo propaganda serão enviados para o spam
- Comentários que desprezam o texto da postagem não serão respondidos