Livro: Sessão da Meia-Noite com Rayne e Delilah - Jeff Zentner #TOCANDOTERROR

Uma história contemporânea divertida e emocionante sobre amizade, filmes de terror trash e amadurecimento. Toda sexta-feira, as melhores amigas Josie e Delia se transformam em Rayne Ravenscroft e Delilah Darkwood, apresentadoras de um programa de terror exibido em um canal da TV local. Com o final do ensino médio se aproximando, Josie precisa decidir se vai mudar de cidade para estudar em uma universidade grande e ir atrás de seu sonho de seguir carreira na televisão — mas isso significaria ficar longe de sua melhor amiga… Enquanto isso, Delia sonha que seu pai, um fã de filmes de terror que abandonou a família anos atrás, assista ao programa delas na TV e retome o contato. Em um fim de semana, as duas resolvem fazer uma viagem para a Flórida, onde vai acontecer a ShiverCon, a maior convenção do universo do terror e o lugar perfeito para conseguir um contrato com uma grande emissora. Mas pode ser que um jovem lutador de MMA, um produtor de televisão excêntrico e um basset hound idoso acabem transformando a vida dessas melhores amigas de uma maneira inesperada. "Qualquer um pode te fazer chorar, mas Jeff Zentner também te faz chorar de rir!" — Rainbow Rowell, autora de Eleanor & Park. "Eu chorei, ri e me encantei com Sessão da meia-noite com Rayne e Delilah." — Jennifer Niven, autora de Por lugares incríveis.
Mais um coming of age maravilhoso por aqui. Não é terror, antes que pensem. Ha!

Delia e Josie tornaram-se amigas por obra do destino. Após uma amiga deixar a cidade para iniciar a vida universitária, Delia acolheu a parceria de Josie na produção e apresentação de seu programa em um canal de televisão local - voltado para exibição de filmes clássicos de terror trash. Mas há algo por trás desta escolha macabra. Sim, Delia é grande fã do gênero, mas a jovem também acredita que o programa irá alcançar outras localidades e, quem sabe, seu pai assista e a reconheça. Ainda pequena, Delia e a mãe foram abandonadas por ele - o cara deixou as fitas de terror trash com elas - e, desde então, vivem de uma maneira inusitada em um trailer na cidade.

Josie não é lá grande fã dos filmes do gênero, mas acha toda dinâmica do programa divertida. Além de que é um grande passo para realizar seu sonho de se tornar uma reconhecida apresentadora. A amizade e devoção colocam Josie fielmente, todas as semanas, em meio as loucas ideias para entreter os telespectadores. O problema é que ela dividiu seus pensamentos em relação a carreia com os pais, que tornaram-se grandes ambiciosos, e conseguiram até um baita estágio em outro estado - o que significará estar longe de Delia e, também, sair do programa.

Mas antes que Josie revele a terrível notícia, as duas amigas viverão uma grande aventura - repleta de lições - durante uma convenção na Flórida voltada para fãs de terror. Rayne e Delilah - suas personas que apresentam o programa - necessitam dessa visibilidade. Delia enche-se de alegria ao notar uma oportunidade de ouro para alcançar público de outros estados: um produtor renomado estará presente no evento, e não custaria nada tentar convencê-lo a patrociná-las. Entretanto, no mesmo momento, Delia recebe a localização de seu pai através da detetive que contratara. Bom, não é nenhuma surpresa que o destino tenha colocado a atual residência dele apenas algumas horas do hotel onde elas pretendem se hospedar.

"Adoro gente medíocre. Aquelas pessoas que dão o máximo de si para criar algo lindo, grandioso, que os outros vão lembrar e comentar depois que elas morrem - e não conseguem. E não por pouco. Por muito. Esse é o meu tipo de gente. Damos risada dessas pessoas, mas ninguém tem outra escolha na vida a não ser acreditar de todo o coração que é extraordinário. Precisamos ter essa convicção mesmo com todas as evidências do contrário. Senão viver é muito triste."

E temos a maior surpresa do ano por aqui. Não se enganem com o resumo, porque falei apenas da primeira parte do enredo e a segunda tem uma baita virada emocional; não acho justo expor da mesma maneira, destruindo parte dos sentimentos que - talvez - venham nutrir vocês. Não é mais legal manter um suspense sobre a Delia encontra o pai ou não? E se, ao caso, ele a receberá bem? A construção das protagonistas é de puro carisma e cativante. A amizade delas é daquelas com um sabor de irmãs reais e desejamos entrar no clima de todo cenário que elas vivem. O programa não é muito diferente da proposta de alguns canais do YouTube, mas é que Delia sempre preferiu assim. A escrita de Jeff Zentner mescla o doce, divertido, raivoso e emocionante dentro de nós como ninguém. Nunca que iria imaginar que terminaria este livro chorando, simplesmente por ter me arrancado boas risadas.

O pai abandonou Delia, a amiga e sócia anterior foi para universidade e mais uma está prestes a sair. É, pode ter certeza que ela nutre esse sentimento de que todos "sempre a abandonam". Daí partimos para a bela conexão que ela tem com a mãe super moderna - e que super acredita ter o dom da vidência e atende algumas pessoas em casa. Não só o emocional de Delia fora atingido pelo abandono do pai, mas o da mãe também; há trocas maravilhosas entre as duas em relação a isso. São muito amigas. No caso da mãe, já achei mais preocupante pelo fato dela precisar se medicar. Confesso que fiquei com um pouco de raiva da Delia quando revelou sobre a detetive, pois a reação da mãe me deixou triste. Ela se dedica pra ver um sorriso no rosto da filha. É uma linda.

A casa de Josie é mais estável, apesar das brigas constantes entre ela e a irmã. A verdade é que achei a caçula bem avulsa na história porque é bem apagadinha; a construção da relação de Josie e Delia soa bem mais verossímil nesta questão. A gente sabe que a briga entre as amigas irá explodir - em algum momento - assim que Josie faz o acordo com os pais para aceitar o estágio phyno que eles arrumaram. Deixando claro que ela fez isso somente pela aprovação para ir na convenção e tentar o acordo com o tal produtor, porque é algo importante pra Delia. Mencionei acima que não custaria nada, mas custa e muito. Ha! Gente, cês não tem noção... o cara é um doido de primeira. E folgado... além de outros xingamentos.

" - Não é incrível que a gente viva numa época em que temos acesso à arte ruim?"

Toda trama envolvendo a convenção é o caminho para a virada emocional citada. A bela hora dos pratos limpos, como cada uma seguirá a vida após novos ares, descobertas e aprendizados nas poucas horas que passam longe de casa. A prioridade do autor é nos aproximar desta conexão que elas mantêm do início da narrativa até meio do evento. Outros caminhos e possibilidades serão traçados, então é justo certo tom emocional. Não só por coisas tristes, mas por cenas belas também. E nem preciso comentar que adorei as referências de terror por aqui, né? Super fiquei imaginando o cosplay do povo.

E não pensem que a vida de Josie gira apenas em torno de Delia e do programa. Além dos filmes de terror e a amizade delas, Delia tem aquela dinâmica maravilhosa com a mãe e um emprego. Ironicamente, graças ao programa, Josie acaba por conhecer o jovem Lawson - ou Lawsão como a Delia chama, haha - e é um relacionamento com ar inusitado e improvável. Lawson não soa nem um pouco como os rapazes que costumam dominar os romances deste estilo. A narrativa se passa em Tennessee, um estado sulista americano, e quem é de fora costuma idealizar vários estereótipos em cima dos locais; inclusive quando as meninas estão na convenção são bastante zoadas de caipiras. Josie é toda moderninha e nem parece pertencer ali; Lawson é o sulista americano quase raiz. Ha! Gostos completamente diferentes, mas a construção do relacionamento entre eles é uma das coisas lindas e incríveis desta leitura. Zentner traça o florescer passo a passo: primeiro conquistando a atenção, depois um sorriso, algo em um comum, e vem a amizade e o depois... É tudo no tempo de Josie. Menino Lawsão é de respeito. E falei que ele é lutador?

"Às vezes sinto muita inveja de pessoas desleais. Aposto que a vida é mais fácil quando não se tem de se preocupar com vínculos afetivos."

Sessão da Meia_Noite com Rayne e Delilah apresenta um enredo moderno e jovial e, claro, referências culturais do meio não ficariam de fora. Não só os filmes de terror, entre outros, há várias trocas nos diálogos que são hilárias. Bastante implicância com música country também; não é pelo fato de alguém nascer num local que será o que é dali, né? O jovem adulto de Jeff Zentner também nos alerta e muito sobre isso. Seja como você quiser! Seja como o Lawsão e preste atenção em cada detalhe dito por aqui. Ha! E somos presenteados com um final emocionante. Sério, até eu que sou um iceberg em pessoa fiquei dominada de alegria. Sim, lágrimas de felicidade.

" - Nenhum cara que tenta fazer você se sentir burra merece você."

Edição lida em e-book e estou em comichão para comprar a física porque necessito ter esse trio - mais o doguinho mal-humorado - na minha estante. Ótima diagramação, a formatação do texto está do jeitinho que me animo para seguir a leitura no Kindle. A capa é lindíssima, mas acreditam que só fui notar o cachorro da Josie - o coronel Buford - quando olhei na terceira vez? 

E gente, cês já viram o autor? mó gatin... =x

#TOCANDOTERROR é um especial de Halloween em parceria com o Caverna Literária.

Autor
: Jeff Zentner
Título Original: Rayne & Delilah's Midnite Matinee
Origem: Literatura Americana
Editora: Seguinte
Tradução: Guilherme Miranda
ISBN 9788555340932
Publicação: 2019
Páginas: 408
Série: Não
O Que Tem? Amizade, Terror Trash, Basset Idoso, Coming of Age

LinksSkoob Compre Físico - Compre E-book - No Site da Editora - Site do Autor
O Canto Cultzíneo agradece ao Grupo Companhia das Letras (Seguinte) por ceder o exemplar para análise.

12 COMENTÁRIOS

  1. Oi Nana,

    Não conhecia o livro, mas a história e o enredo é bem interessante.
    Vou anotar como dica, apesar de fugir um pouco da minha zona de leitura.


    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  2. Oi Nana, tudo bem? Desde o lançamento eu fiquei com vontade de conferir esse livro, gosto da trama e ainda mais por ter referências culturais!! Ainda pretendo ler rs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. Eu jurava que era terror, mas adoro que tenha referências. Geralmente não leio em ebook e adoro o livro eu insisto em ter a versão física também kkk.

    Abraço

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  4. Achei a história bem legal e adorei que elas tem um programa de tv, muitooo bacana! :)

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Esse livro foge muito do que estou habituada a ler, mas é sempre bom sair da zona de conforto, né? Amei sua resenha! <3

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  6. Olá, Nana.
    Eu não conhecia esse livro ainda e fiquei bastante interessada. Quando li que você chorou já fiquei com um pé atrás porque me acabei de chorar com o ultimo livro que li. Mas se é de felicidade tudo bem hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  7. OI Nana

    Esse parece ser um livro diferente de tudo que eu já li e eu amei isso. Vc me fez aumentar minha já extensa lista de livros desejados.

    As vezes a gente precisa de uma boa dose de amor fraterno.

    Apesar do Caos

    ResponderExcluir
  8. Oi, Nana. Não conhecia esse livro. E adorei a forma como contou sobre ele! ;)

    beijos

    https://ludantasmusica.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Oiee Nana! Estava acompanhando o desafio também lá pelo caverna. Kkk adorandooo as dicas.
    Esse livro parece ser bem legal. Acho que iria gostar bastante da escrita da autora, da cultura sulista e das meninas.

    Quero ler já!!

    Beijos,
    Paloma Viricio

    ResponderExcluir
  10. Amei sua resenha, fiquei muito curiosa para conhecer esse livro, já até salvei na minha listinha.

    Beijinhos
    Renata

    ResponderExcluir
  11. Oi, Nana!

    Não conhecia ainda essa obra nem o autor gatin hahaha parece interessante, gostei da mistura de young adult abordando também sobre terror, deve ser bem bacana!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Oi Nana! esse livro é muito bom, no geral todos os desse autor são ótimos. Eu conheci ele na Flipop de uns anos atrás. Ele é super fofo e fala português. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir

Olá, sejam bem vindxs :D
Algumas observações:
- Os comentários são moderados, conteúdo odioso ou preconceituoso não será aprovado;
- Comentários que não tenham relação com a postagem e estilo propaganda serão enviados para o spam;
- Comentários que desprezam o texto da postagem não serão respondidos.