Livro: A Sombra do Vento - Carlos Ruiz Zafón


A Sombra do VentoNuma madrugada de 1945, em Barcelona, Daniel Sempere é levado por seu pai a um misterioso lugar no coração do centro histórico: o Cemitério dos Livros Esquecidos. Lá, o menino encontra A Sombra do Vento, livro maldito que mudará o rumo de sua vida e o arrastará para um labirinto de aventuras repleto de segredos e intrigas enterrados na alma obscura da cidade, A busca por pistas do desaparecido autor do livro que o fascina transformará Daniel em um homem ao iniciá-lo no mundo do amor, do sexo e da literatura. Numa narrativa de ritmo eletrizante que mistura gêneros como o romance de aventuras de Alexandre Dumas, a novela gótica de Edgar Allan Poe e os folhetins amorosos de Victor Hugo, Carlos Ruiz Zafón mantém o leitor em estado de contínuo suspense. Ambientada na Espanha franquista da primeira metade do século XX, entre os últimos raios de luz do modernismo e as trevas do pós-guerra, A Sombra do Vento é uma obra sedutora, comovente e impossível de largar. Uma grandiosa homenagem ao poder místico dos livros.

Um livrão desse bicho...
Em A Sombra do Vento, Zafón nos leva à uma melancólica e sombria Barcelona pós-guerra, dando início a narrativa de Daniel Sempere em 1945 - quando está prestes a completar onze anos - e acordara atormentado por não se lembrar do rosto da falecida mãe. Seu pai, dono de uma livraria herdada de antepassados, o leva em um curioso e misterioso local chamado O Cemitério dos Livros Esquecidos. Lá Daniel precisa prometer que nunca contará sobre aquele lugar a ninguém e fica encarregado de uma coisa peculiar: entrar no labirinto, escolher apenas um livro e proteger. E no fim, seu escolhido é A Sombra do Vento de Julián Carax.

Ao finalizar a leitura, fascinado, Daniel busca por mais obras de Julián. Para sua surpresa, nem seu pai sabia da existência daquela edição e do autor. Então, ambos decidem averiguar sobre o misterioso Julián Carax com a ajuda de Gustavo Barceló, também livreiro e colecionador. Encantado por aquela raridade, Gustavo se oferece para comprá-la, mas Daniel nega. Anos se passam, e Daniel agora com dezesseis anos, se tornou muito próximo da família de Barceló, inclusive de sua sobrinha cega Clara, alguns anos mais velha. Numa noite, Daniel é abordado por uma figura misteriosa que exige a entrega do exemplar de Julián. O estranho se denomina Laín Coubert, como o personagem do livro de Julían, que é a personificação do diabo. E seu desejo, é queimar o exemplar. Mesmo sob ameaças, Daniel não desiste de Julián e enfim, arrisca-se por meses investigando sobre o autor.

Após a decepção com seu primeiro crush - Clara - a vida lhe dá um novo e fiel amigo: Fermín Romero de Torres. Fermín vivia nas ruas antes do sr. Sempere, o contratar para trabalhar na livraria. O problema é que Fermín é perseguido há anos pelo temível Inspetor Fumero, que por onde passa deixa um rastro de sangue, o que coloca os dois Sempere na cola dele, também. Apesar do perigo à espreita, Fermín se une a Daniel na investigação sobre Julián, o que torna o autor tão protagonista quanto Daniel. Parece que as respostas estavam ali o tempo inteiro e é nítida algumas semelhanças entre Julián e Daniel. Tanto que vários personagens, mencionam que Daniel os remete a Julián. E a maior semelhança de todas, é ter um amigo capaz de se sacrificar por você.

A história de Julián Carax é tristemente bela. Sabemos desde sua criação, os abusos que sua mãe sofria, e como era rejeitado pelo pai. Sua época escolar e a paixão pela leitura que o uniu a um amor impossível. Bela porque foi pela esperança desse amor, que ele decidiu escrever seus livros. Mas, o amor dói e deixa marcas na alma, tanto para finais tristes quanto felizes. A cada descoberta que Daniel faz sobre seu passado, a gente sente que a coisa terminará em lágrimas em algum momento.

"- Este lugar é um mistério Daniel, um santuário. Cada livro, cada volume que você vê, tem alma. A alma de quem o escreveu e a alma dos que o leram, que viveram e sonharam com ele. Cada vez que um livro troca de mãos, cada vez que alguém passa os olhos pelas suas páginas, seu espírito se expande e a pessoa se fortalece."

É muito difícil um livro me emocionar logo nas primeiras páginas. Pois, adivinhem só quem se pegou toda chorosa depois que esse quote de cima, apareceu? O pai usando a leitura para amenizar a dor de seu filho, rapidamente me lembrou de quando eu abri esse blog sete anos atrás - quando se chamava Obsession Valley - e as decepções daquela época. Claro, que nenhuma se compara com a de Daniel que perdera sua mãe, contudo foi na leitura que acabei curando parte das minhas dores, inclusive amenizando a ansiedade. Eu, que não lia mais de cinco livros por ano, me redescobri quando os livrinhos começaram a surgir na minha casa. Agora, imagina você finalizar um livro maravilhoso e descobrir que não resta nada mais daquele autor, que trocou seus pensamentos mórbidos pela inquietação por uma trama. E assim, me vi preocupada com Daniel, porque, o que restaria quando toda sua busca/epílogo acabasse? Afinal, esse é o meu medo. Mas, aqui temos mais três livros, não é mesmo...?

Zafón não é para ser lido numa tacada. Sua escrita precisa ser absorvida, pois é muito marcante e embasada. Enquanto lia A Sombra do Vento, pensava que poderia tatuar todos os quotes pelo meu corpo. A fácil familiarização dos personagens, foi um dos pontos que me chamou atenção, em vista que o autor torna até mesmo pequenas participações importantes. Todos aqui são importantes; todos tem seus medos, amores e dores. Inclusive o Inspetor Fumero, mesmo que seja um homemzinho odiável. O ambiente também é bem delineado e expõe uma Barcelona sombria, que apesar dos problemas, alguns de seus habitantes não esqueceram o que é olhar pelo próximo.

A narrativa se passa em 1945, e sim, o autor não deixa de expor questões odiáveis - normais para alguns até hoje - elevadas na época, como violência doméstica, homofobia, machismo, questões políticas exacerbadas, dentre outros. Até brinquei que Fermín parece as redes sociais atualmente, cada vez que fala é um textão crítico de alguma coisa. Mas, no geral o achei um personagem divertido; um galanteador nato. Por outro lado, temos váááárias menções da literatura clássica, seja daquela época ou anteriores. Se você é o/a louco/a dos clássicos, vai ficar vibrando!

Já a investigação é de vibrar a cada descoberta e também temer pela segurança de Daniel. Afinal, você meio que cresce com ele, lendo, e nota o quão ele é doce e ingênuo. E putz! Se estão queimando os livros do cara, imagina-se que logo estarão atrás de você, afinal seu exemplar vale ouro. Quanto mais perto da verdade, mais a ânsia por devorar as páginas nos atinge. Sério! Há uma carta de uma personagem, próxima de Julían, que deve ter umas vinte páginas. Só fui dormir depois de ler todas, às sete da manhã.

"- Alguém disse uma vez que na hora em que paramos e pensamos se gostamos de alguém, já deixamos de gostar."

A edição está ótima, achei a fonte confortável, em vista que o livro é grandinho. Gostei da revisão, não notei erros e ótimo trabalho em traduzir os clássicos citados. Adorei a capa, mas a nova de O Jogo do Anjo é minha favorita pelo marrom, ha! Essa demonstra muito do tom encontrado no livro, está sempre chovendo.

A leitura da série não precisa ser na ordem. Para vocês saberem, li O Prisioneiro do Céu, antes desse. Pelo que notei O Jogo do Anjo é o mais liberto da ordem e parece ser tipo uma introdução. Então, só escolher ou seguir a ordem para se aventurar pelo Cemitério dos Livros Esquecidos.

"Lembre-se de mim, Daniel, mesmo que em um canto e às escondidas. Não me deixe partir."

Esse ano, a Suma está relançando toda coleção - com um novo design - mais o último capítulo da série, O Labirinto dos Espíritos.

Autor: Carlos Ruiz Zafón
Título Original: La Sombra del Viento
Origem: Literatura Espanhola
Editora: Suma de Letras / Suma
Tradução: Marcia Ribas
ISBN: 9788556510341
Publicação: 2017
Páginas: 464
Série: O Cemitério dos Livros Esquecidos
#0.5: Rosa de Fuego (Amazon 0800 em Espanhol)
#1: A Sombra do Vento
#2: O Jogo do Anjo
#3: O Prisioneiro do Céu (Resenha)
#4: O Labirinto dos Espíritos
O Que Tem?: Mistério, Drama, Romance, Referências Literárias

LinksSkoob - Compre - Autor - Site da Editora
O blog Canto Cultzíneo agradece à Suma por ceder o exemplar para análise.

18 COMENTÁRIOS

  1. Tenho este livro há tanto tempo na estante à espera de uma oportunidade! =)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  2. Cara, cê me deixou com uma vontade muito louca de ler esse livro, sério! Eu ainda não tinha ouvido falar dele, mas fiquei encantada com as tuas palavras sobre e também achei a história bem original, não me lembro de ter lido nada assim. Quando eu tiver a oportunidade, com certeza vou realizar a leitura. Ah, e o quote que te emocionou é mesmo lindo!
    Um beijão,
    Gabs | likegabs.blogspot.com ❥

    ResponderExcluir
  3. Fiquei bem curiosa pra ler, ótima resenha!!
    Beijos

    http://amandainacio.com.br

    ResponderExcluir
  4. Esse não é o tipo de livro que eu gosto de ler, mas eu achei o enredo bem interessante amei sua resenha. Com certeza eu indicaria esse livro para os meus amigos.
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/2017/09/canal-da-fernanda-souza-no-youtube.html

    ResponderExcluir
  5. Olá, Nana.
    Eu amo a escrita do Zafón. É como você disse, a gente tem que ir degustando aos poucos. Eu comprei o quarto livro e assim que chegar vou ler. Mas discordo de você sobre ler fora de ordem. Acho que tem que ser lido na ordem sim para entender direitinho a história.
    Quanto ao seu comentário sobre os livros da Harlequin, nem caixa de sapato está cabendo mais aqui em casa hehe. E tenho bem uns quatrocentos livros da editora porque eu comprava no sebo aqui perto de casa que custava 0,50 centavos hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Oi Nana!

    Nunca li nada de Zafón, porém percebi, lendo sua resenha, como sou trouxa por nunca ter lido rsrsrs... Amei d+ sua resenha! Me deu vontade de comprar o livro agora! Não sabia que não precisava seguir a ordem. Fiquei emocionada com o pouco que li aqui e com os quotes, sem contar que amo histórias ambientadas em épocas de guerra, mesmo que seja um pós-guerra. Já vi serei a louca por Zafón em breve rsrsrs

    Beijos e parabéns novamente pela linda resenha! (aplausos de pé)

    Vivian

    Saleta de Leitura

    ResponderExcluir
  7. Oi Nana que excelente resenha! Eu nunca li nada do Zafon mas sempre tive essa sensação de que ele precisa ser digerido aos poucos, o que é bem bacana. Bom saber que a série não precisa ser lida em ordem.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. Oi Nana! Adoro Zafon! Ele escreve de maneira bela e cria histórias que mesclam vários elementos e encantam a gente. Marina foi o que mais gostei e agora vou ler esta série.
    Bjos!!!

    ResponderExcluir
  9. Oi Nana, tudo bom?
    Nunca li nada do Zafon, mas só elogios de todo mundo que passou pelos livros dele. Não faz muito o meu gênero favorito de leitura, então acho que teria que estar muito no feeling pra curtir a história.
    Gostei bastante da premissa dessa obra em questão!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi, Nana.
    Li esse livro há muito tempo e sua resenha me deu vontade de lê-lo novamente!
    Eu gosto muito do estilo do Zafón, os livros dele remetem à nostalgia.
    Puxa, a minha memória não é tão boa e por isso preciso revisar essa leitura urgentemente.
    Bela resenha.
    Abraços.
    Diego || Diego Morais Viana

    ResponderExcluir
  11. Parece ser bem misterioso esse livro. Adoro mistério e drama hehe ;)

    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Nana, quero MUITO ler Zafón ~ estou na dúvida por qual livro começar. Esse me chamou muita atenção já na época do lançamento e o seu post só me deixou com mais vontade de ler!

    ResponderExcluir
  13. Oie
    Consegui este livro numa troca, mas ainda não li. Vejo todo mundo falando bem deste autor e desta série. Quero logo ler.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. OOi adorei o mistério que o livro traz, mas não sei se leria, não é meu gênero favorito.
    Curti a resenha.
    Beijos bom final de semana
    bellapagina.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Estou bem curiosa para ler todos os livros dele, ainda mais agora que foi lançado outro.
    Sempre fiquei feliz com o fato de que não precisa ler na ordem. Mas sabe aquele TIC de leitor? Então, eu tenho hahaha.

    Quer ganhar 2 livros a sua escolha? Então acesse o Blog para saber como ganhar.

    http://www.revelandosentimentos.com.br

    Abraços,

    Naty

    ResponderExcluir
  16. Oi Nana,
    Para ser sincera, achei a trama ao mesmo tempo confusa e instigante, mas como ainda não li nada do autor posso começar por esse e ver o que acho. Dica anotada!!

    *bye*
    Marla Almeida
    https://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oi Nana!
    Esse livro é especial, né? Sou completamente apaixonada por ele e morro de vontade de reler.
    Realmente eles podem ser lidos fora de ordem. Eu li na de lançamento: A Sombra do Vento, O Jogo do Anjo (confesso que é o único livro do Zafón que não gosto - e li todos) e O Prisioneiro do Céu. Agora estou ansiosa esperando um tempinho para me dedicar ao calhamaço que a Suma lançou esse ano hehe.
    A escrita do Zafón é mesmo um espetáculo. Para ser saboreada aos pouquinhos ;)
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir

Olá, sejam bem vindxs :D
Algumas observações:
- Os comentários são moderados, conteúdo odioso ou preconceituoso não será aprovado;
- Comentários que não tenham relação com a postagem e estilo propaganda serão enviados para o spam;
- Comentários que desprezam o texto da postagem não serão respondidos.